28 de novembro de 2020
Campo Grande 36º 23º

CULTURA

Sectur faz live com 'contação de histórias' dia 29 de maio na Capital

O projeto Emília Musical é encabeçado pela servidora Iara Freitas da Silva, que roda escolas públicas, privadas, institutos e eventos desde o ano de 2017

A Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Sectur), por meio da unidade Biblioteca Pública Municipal Prof Anna Luiza Prado Bastos, oferece mais uma live com conteúdo cultural e educacional no dia 29 de maio, em dois horários, às 10h e 15h, com transmissão ao vivo do projeto Emília Musical – Contação de Histórias, no Instagram (@secturcg) e Facebook (/SECTURCG) da Sectur, e pelo Facebook da Biblioteca (/BibliotecaMunicipalCG).

O projeto Emília Musical é encabeçado pela servidora Iara Freitas da Silva, que roda escolas públicas, privadas, institutos e eventos desde o ano de 2017 com o projeto em questão. Ela promete uma live com duração de cerca de 30 minutos em que irá trabalhar as histórias de Monteiro Lobato e Bia Bedran.  

“Iremos falar um pouco dos projetos da Biblioteca Pública Municipal e, dentro da contação de histórias, alertar, numa linguagem infantil, o tema do abuso infantil”, pontua ela.

A Sectur tem incentivado que a população campo-grandense fique em casa com ações digitais para promover a cultura e o turismo local. No início desta semana transmitiu uma live pelo Museu José Antônio Pereira e segue com atividades online.

SOBRE A BIBLIOTECA PÚBLICA MUNICIPAL

A Biblioteca Pública Municipal foi fundada em 28 de novembro de 1932 pelo médico e beletrista Perí Alves Campos.

Em 5 de março de 1940, a biblioteca foi doada à Prefeitura de Campo Grande, denominando-se Biblioteca Municipal, através do Decreto-lei n. 29. Em 1980, a biblioteca que situava na Praça Ary Coelho, não dispunha de espaço físico suficiente para comportar o número de visitantes. No ano de 1987, foi transferida provisoriamente para um prédio em frente à antiga estação rodoviária.

Em sua atual sede, situada no Parque Florestal Antônio de Albuquerque (Horto Florestal), inaugurada em 19 de maio de 1995, recebeu o nome de Anna Luiza Prado Bastos – professora Galega, homenagem a uma professora cuiabana, que muito contribuiu para educação em Campo Grande,  fundadora do Colégio Barão de Melgaço e fez história entre seus alunos pelo empenho e carinho dispensados ao longo dos anos.