15 de abril de 2021
Campo Grande 33º 19º

EDUCAÇÃO

SED opta por volta às aulas de maneira online em MS

Ideia inicial defendida pelo governo era que as prefeituras seguissem o calendário escolar defendido pela SES, que previa volta às aulas presenciais no dia 1º de março

A Secretaria de Estado de Educação (SED) decidiu seguir a mesma posição dos municípios de iniciar aulas das escolas estaduais por meio de videoconferência. O anúncio foi feito na tarte desta quinta-feira (25.fev) pela titular da pasta, Maria Cecília Amendola da Motta, durante coletiva à imprensa.

A Rede Estadual de Ensino de MS (REE) vai retornar às atividades de forma remota a partir da próxima segunda-feira, 01 de março.

Participaram da coletiva, além de Maria Cecília, o secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Sérgio Murilo, e do superintendente de Políticas Educacionais da SED, Hélio Daher.

A definição saiu após reunião realizada pela equipe do Centro de Operações Emergenciais (COEMS) com a SED e referendada pelo Prosseguir, na terça e quarta-feira, respectivamente.

Com a decisão, mais de 194 mil estudantes matriculados em 347 unidades de ensino da REE voltarão às aulas de forma não presencial a partir de segunda-feira (1), modalidade essa já adotada durante a suspensão das atividades em 2020.

A ideia inicial defendida pelo governo era que as prefeituras seguissem o calendário escolar defendido pela SES, que previa volta às aulas presenciais no dia 1º de março.

Na última terça-feira (23), durante assembleia-geral, na Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul (Assomasul), em Campo Grande, os prefeitos aprovaram o retorno às atividades nas escolas municipais de forma on-line por um período de 30 dias, antes da volta às aulas presenciais.

Além do posicionamento contrário da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de MS) sobre o início do ano letivo, os prefeitos alegam uma série de fatores para o retorno das aulas de forma online na Rede Municipal de Ensino, como aguardar a continuidade do calendário de vacinação no Estado e o fato de 38 novos prefeitos não terem tido tempo hábil para a transição de cargos.

Na assembleia-geral, os gestores entenderam necessária a prorrogação das aulas presenciais para o mês de abril, para que os municípios possam se adequar ao Protocolo de Retorno as Aulas.

Entre março e dezembro do ano passado, as aulas foram realizadas com o apoio de diversos recursos, como aplicativos de parceiros como Google e Microsoft, além da distribuição de atividades impressas para os estudantes sem conectividade.

Confira a nota oficial abaixo:

Considerando que as unidades escolares da Rede Estadual de Ensino (REE) estão devidamente equipadas e preparadas pedagogicamente, desde novembro de 2020;

Considerando a publicação do Protocolo de Volta às Aulas, elaborado por 21 instituições, que define o regramento para o retorno presencial dos estudantes matriculados na REE;

Considerando o período de formação, realizada junto aos servidores da Rede Estadual de Ensino durante o mês de fevereiro;

Considerando que a Secretaria de Estado de Educação (SED) obteve, junto ao Centro de Operações Emergenciais (COEMS) e o Programa de Saúde e Segurança da Economia (Prosseguir), parecer favorável ao retorno das aulas.

Considerando o trabalho em regime de colaboração que essa Secretaria vem conduzindo junto às prefeituras municipais de MS e atendendo ao pedido da Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul (Assomasul), solicitando que o mês de março seja mantido de forma remota, para que os mesmos tenham tempo hábil de equipar suas respectivas unidades escolares e, dessa forma, garantir que os estudantes – independentemente das redes as quais pertençam – possam voltar em conjunto e segurança.

O Governo de Mato Grosso do Sul, por intermédio da Secretaria de Estado de Educação, entende e define que a oferta da Educação Básica a ser adotada para o mês de março será na forma remota (não presencial).

Contudo, as escolas estaduais seguirão abertas para um período de acolhimento, formação dos estudantes com a entrega dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), uniformes e kits escolares, bem como para o diagnóstico cognitivo – no sentido de preparar o planejamento do professor – visando as intervenções pedagógicas necessárias para a recuperação da aprendizagem dos estudantes e pensando na continuidade das aulas no formato híbrido ou remoto, a partir de abril.

ACERTADA

No começo do mês, Valdir Júnior esteve com a secretária Maria Cecília No começo do mês, Valdir Júnior esteve com a secretária Maria Cecília. Foto:  Edson Ribeiro

Para Valdir Júnior, a decisão da secretária Maria Cecília foi acertada e com certeza vem ao encontro dos anseios dos gestores públicos e da população dos municípios que estão preocupados com o grau de infecção da doença, conforme os boletins diários divulgados pela SES (Secretaria de Estado de Saúde).

No começo do mês, o dirigente esteve com a secretária de Educação tratando de vários temas relacionados ao setor, principalmente o calendário de retorno às aulas e o convênio entre o estado e prefeituras para manutenção do transporte escolar. Na ocasião, acompanhado do 2° secretário da entidade e prefeito de Alcinópolis, Dalmy Crisóstomo da Silva.

UNDIME

Em reunião com Valdir Júnior, na quarta-feira (24), a presidente da Undime-MS (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação de Mato Grosso do Sul), Manuelina Cabral, anunciou apoio à decisão tomada pelos prefeitos.