14 de abril de 2021
Campo Grande 33º 19º

ECONOMIA

Setor de produtos de limpeza pode crescer 3% este ano

Segmento cresceu 5,9% de janeiro a julho de 2020

Um dos setores que não pode reclamar atualmente é o dos produtos de limpeza. Por conta da necessidade de manter as residências livres do novo coronavírus, muitas pessoas intensificaram as medidas de higienização.

Enquanto o faturamento do turismo caiu 33,6% no ano passado, por conta dos cancelamentos das viagens, a indústria de limpeza crescia. De janeiro a julho de 2020, o segmento cresceu 5,9% em comparação ao mesmo período de 2019, de acordo com a Associação Brasileira das Indústrias de Produtos de Higiene, Limpeza e Saneantes de Uso Doméstico e de Uso Profissional¹. Para 2021, a expectativa é que o crescimento seja de 3%.

DEMANDA POR PRODUTOS DE LIMPEZA AINDA É ALTA

Imagem ilustrativa

Como a pandemia ainda não terminou - e muitas pessoas, inclusive, permanecem mais tempo em casa - é normal que a demanda por produtos de limpeza continue alta. Apesar de não haver estudos conclusivos sobre o contágio e as características do vírus, a comunidade médica já alertou para ter cuidado com a higiene - tanto das mãos que podem levar o microorganismo ao nariz quanto do contato com outras superfícies.

O que não se sabe ainda é se a diminuição do auxílio emergencial irá impactar os números do setor. Em fevereiro, o governo anunciou que a renda será renovada, porém, com regras diferentes. Os brasileiros que atenderem os pré-requisitos poderão receber R$ 250 durante quatro meses². No ano passado, o governo pagou R$ 600 ou R$1,2 mil por cinco meses.

Dessa forma, as mudanças no auxílio poderão fazer com que as famílias de baixa renda priorizem outros gastos, como os da alimentação. Ainda que os produtos de higiene também sejam básicos, pode haver uma redução nessas compras. Em vez de comprar uma água sanitária e uma substância de multiuso, o consumidor pode optar apenas por um.

PREÇOS SEGUEM ESTÁVEIS

Em comparação com os produtos alimentícios, que tiveram uma alta assustadora no ano passado, os itens de limpeza se mantiveram mais estáveis. Dependendo do mercado e da marca, os consumidores puderam até visualizar uma ligeira alta. Porém, não foram todos os produtos que seguiram essa tendência.

No Supemercado Dia³, por exemplo, é possível encontrar detergentes por R$2,99 e lava-roupas em pó por R$ 16,89. Já no Roldão, os consumidores podem levar detergente por R$ 1,35 nas segundas-feiras.

Vale notar que o mercado de produtos de limpeza atual tem diversas opções para os consumidores. Então, não é difícil encontrar uma marca mais barata nas prateleiras e, assim, conseguir economizar um pouco.

A pandemia também fez com as empresas aumentassem o portfólio de produtos para a casa. Atualmente, há itens em embalagens maiores e lançamentos com função sanitizantes. Se antes o foco era apenas trocar o aroma, agora os fabricantes perceberam que os consumidores desejam melhorias além do perfume4.

Apesar de a pandemia ter afetado diversos segmentos — incluindo o do turismo, que foi o que mais caiu em um curto período — o setor de limpeza vive um bom momento. Parte disso se deve à preocupação das pessoas com as medidas de higiene. Ao que tudo indica, esse mercado ainda deve crescer 3% este ano.

Fontes:

1 - Artigo sobre crescimento do setor de limpeza na Revista H&C: https://revistahec.com.br/industrias-de-produtos-de-limpeza-podem-crescer-3-neste-ano/

2 - Artigo sobre confirmação do novo auxílio emergencial: https://www.istoedinheiro.com.br/governo-federal-quer-auxilio-emergencial-de-r-250-em-marco/

3 - Ofertas no Supermercado Dia: https://www.portafolhetos.com.br/dia/

4 - Artigo sobre aumento do portfólio no setor de limpeza: https://householdinnovation.com.br/pandemia-faz-setor-de-limpeza-ampliar-portfolio/