17 de abril de 2021
Campo Grande 31º 20º

Economia?

Sinpol denuncia racionamento de combustível e falta de viaturas

O Sindicato dos Policiais Civis de Mato Grosso do Sul (Sinpol-MS) denunciou nesta quarta-feira (9) a falta de viaturas e também racionamento de combustível. A reclamação é antiga e os sindicalistas aguardam uma solução por parte da secretaria de estado de Segurança Pública.

Apenas três litros de combustível por veículo, essa é a média diária que os automóveis da Polícia Civil dispõem para abastecer a frota de 700 unidades da instituição e que estão distribuídos nos 79 municípios do Mato Grosso do Sul. Segundo o presidente do Sinpol-MS, Giancarlo Miranda, a quantidade é a mesma desde setembro de 2014.

“Queremos trabalhar, mas somos impedidos pela falta de investimentos e pelo descaso do Estado. O atual governo não aumentou a cota nesses últimos 15 meses, embora o sindicato já tenha informado a situação à administração e solicitado o aumento do repasse”, afirmou.

De acordo com o levantamento feito pelo sindicato, dos 700 veículos da Polícia Civil, quase metade está parada aguardando manutenção com defeitos que vão desde a parte mecânica até pneus carecas. “Há poucas oficinas autorizadas a fazer a manutenção desses carros, e as que estão autorizados esbarram na burocracia para prestar o atendimento”, destacou o sindicalista.

Em 2015, nenhuma nova viatura ou veículos descaracterizados foram adquiridos pela administração estadual.  Na Delegacia Especializada de Roubos e Furtos, por exemplo, o único carro descaracterizado em funcionamento utilizado nas campanas foi adquirido no ano de 2008. A Derf é a unidade responsável por investigar e elucidar todos os crimes de roubos e furtos ocorridos na capital.