26 de outubro de 2021
Campo Grande 29º 17º

CPI | DESDOBRAMENTOS

Hang testa kit covid na mãe e acolhe fraude da Prevent sobre causa da morte

Bolsonarista apoiador do 'tratamento precoce' disse que a Covid da mãe "passou"

A- A+

Regina Hang, 82, morreu em fevereiro em hospital da rede Prevent Senior, em decorrência de complicações clínicas após contrair Covid-19. Após o depoimento do diretor-executivo da Prevent Senior, Pedro Benedito Batista Júnior, ontem (22.set.2021), o defensor do “kit covid”, Luciano Hang, que é dono do Havan, disse em nota nesta 4ª feira (22.set), que confia totalmente nos procedimentos adotados pela Prevent Senior no tratamento dado à sua mãe.

Conforme divulgado pelo O Estado de S.Paulo, cerca de 15 médicos, ex-profissionais da Prevent Senior, assinaram um dossiê que aponta adulteração da certidão de óbito de Regina Hang, na intenção de omitir informações da real causa de sua morte. 

Hang afirma que após mais de um mês internada em uma unidade hospitalar da Prevent em São Paulo, a Covid-19 da mãe “passou” e ela veio a óbito por causa das sequelas da doença aliadas às comorbidades que possuía e, portanto, justificaria a morte em consequência de uma pneumonia bacteriana e não a Covid-19, motivo pelo qual foi internada. Daí a “total confiança” de Hang na empresa. 

No entanto, ainda de acordo com a reportagem, o prontuário médico da mãe de Hang relata que a paciente recebeu o kit covid com medicamentos como azitromicina, hidroxicloroquina, prednisona e colchicina, antes de morrer.

Na sessão da CPI da Covid, o relator, Renan Calheiros (MDB-AL), abordou o caso de Regina Hang com a exibição de um vídeo no qual o empresário afirma que sua mãe poderia ter sobrevivido caso tivesse feito o chamado “tratamento precoce”. O parlamentar qualificou o comportamento do empresário como “macabro” e “repugnante”, segundo apurações da Rede Brasil Atual.