01 de julho de 2022
Campo Grande 30º 19º

VIOLÊNCIA | NACIONAL

Vídeo: empresário Erasmo Neves humilha e agride idoso após furto de carne

Dono da Casa de Carnes Morumby, em Juazeiro (BA)

A- A+

Erasmo Neves Parente Neto, dono do frigorífico Casa de Carnes Morumby, agrediu um idoso o acusando de furto de alguns pacotes de frango e carne moída. O caso ocorreu na quinta-feira (12.mai.22), na cidade de Juazeiro (BA). 

Um vídeo feito pelo próprio agressor, mostra ele segurando o idoso pelo colarinho. O homem agredido está sentado no chão próximo aos pés do empresário. Erasmo aparece justificando que pegou o idoso "roubando frango". Após expor os produtos para a câmera, Erasmo desfere um tapa contra a nuca do idoso. O indivíduo que filma a situação, dá risadas.  

A princípio o vídeo foi divulgado no próprio Instagram da Casa de Carnes Morumby. Depois, compartilhado por diversos perfis nas redes sociais.

“Pegamos um ladrão aqui na loja do Alto da Maravilha. Já tinha pegado ele um dia na Areia Branca, roubando. Hoje reconheci ele aqui e peguei de novo. Tá aqui roubando um frango e uma carne moída (sic)”, disse.

“Eu trabalho feito um filho da p***, e o cabra roubando, roubando, roubando”, reclamou.

Erasmo ainda jogou a sacola contra o idoso e deu um chute ao expulsá-lo do estabelecimento.

A atitude do empresário foi rechaçada por seguidos e na sequência ele deletou o vídeo da rede social do estabelecimento.

Depois, Erasmo publicou um pedido de desculpas e disse estar arrependido, porém, justificando sua agressão: 

“Continuarei investindo em sistema de monitoramento eletrônico e segurança preventiva e/ou ostensiva para que os clientes e amigos sintam-se cada vez mais seguros ao adentrarem nas nossas lojas. Com mais de 40 anos de tradição na região do Vale do São Francisco, a nossa empresa é reconhecida pelas boas condutas perante os clientes, amigos e colaboradores, contribuindo para o desenvolvimento econômico das cidades de Juazeiro (BA) e Petrolina (PE)”, disse num trecho. (Veja a nota completa abaixo).

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by MS NOTÍCIAS (@msnoticias)

FURTO FAMÉLICO 

O suposto delito que teria sido praticado pelo idoso foi classificado, em 2004, pelo Supremo Tribunal Federal (STF) como furto famélico, que é quando alguém pega comida, medicamentos ou qualquer outro item indispensável para a sua sobrevivência.

Por conta disso, casos de furto famélico devem ser arquivados.

Procuradas, tanto a Polícia Civil quanto a Militar informaram que o caso não foi registrado em nenhuma delegacia da região.

O comerciante Erasmo Neves, sócio proprietário da casa de carnes situada na Travessa da Maravilha, em Juazeiro/BA, vem a público prestar esclarecimentos sobre o triste fato ocorrido na manhã desta quinta-feira, 12/05.

NOTA DO EMPRESÁRIO

Venho pedir desculpas pela forma destemperada que reagi ao me deparar com uma pessoa furtando dentro do meu estabelecimento comercial.

É dali que alimento meus filhos e consigo empregar mais de 100 (cem) funcionários para que estes também possam alimentar os seus filhos.

Ao perceber que estava sendo furtado pela mesma pessoa que já havia sido flagrada outras duas vezes furtando em outra filial da minha empresa, me comportei como um selvagem, tentando proteger o meu “ganha-pão”.

Na primeira vez que ocorreu, na loja da Areia Branca, em Petrolina, me comovi com a situação alegada por ele e, após adverti-lo que da próxima vez chamaria a polícia, acabei liberando para que ele levasse a mercadoria que estava na sacola.

Na segunda vez que o flagrei, retirei a mercadoria da sacola solicitei que chamassem a polícia. Porém, ao ser interpelado por alguns clientes e demais passantes que presenciaram a cena, acabei desistindo de prestar queixa para não destruir a vida de uma pessoa já com uma certa idade.

Porém, aconteceu de hoje flagrá-lo novamente com o mesmo modo de agir das outras vezes: entra como se fosse um cliente em dúvida do que vai levar e acaba aproveitando o momento de distração de algum funcionário para enfiar produtos dentro da sacola e sair sem pagar.

Mesmo sabendo que não posso defender com unhas e dentes o meu único instrumento de trabalho de onde sustento minha família, me arrependo profundamente da minha atitude movida pela forte emoção violenta que me acometeu naquele momento.

Continuarei investindo em sistema de monitoramento eletrônico e segurança preventiva e/ou ostensiva para que os clientes e amigos sintam-se cada vez mais seguros ao adentrarem nas nossas lojas.

Com mais de 40 anos de tradição na região do Vale do São Francisco, a nossa empresa é reconhecida pelas boas condutas perante os clientes, amigos e colaboradores, contribuindo para o desenvolvimento econômico das cidades de Juazeiro (BA) e Petrolina (PE).