17 de junho de 2021
Campo Grande 26º 15º

Corumbá intensifica prevenção contra a dengue e febre Chikungunya

A- A+

O CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), de Corumbá – distante 444 quilômetros de Campo Grande – deu início ontem as ações de combate à dengue e prevenção a febre Chikungunya.  No município, de acordo com o site Diário Corumbaense, as ações tiveram início no bairro Aeroporto, devido ao índice de infestação de 2,06% indicados pelo Liraa (Levantamento de Índice Rápido do Aedes Aegypti). Os agentes também percorreram as ruas de Cirumbá alertando a população e coletando focos do mosquito transmissor da dengue. “Somente em uma rua encontramos cinco casas com larvas de mosquito, as amostras serão levadas para análise para sabermos se estão infectadas ou não. Vale lembrar que a febre Chikungunya ainda não chegou à cidade, mas estamos alertando os moradores já que o mosquito transmissor é o mesmo que o da dengue” destacou o agente de endemias, Laércio de Souza Saldanha. Os agentes tem encontrado dificuldades para entrar em algumas residências, pois os moradores relutam em deixar os profissionais nas residências, principalmente aqueles que possuem o quintal sujo. No município, há diversos bairros com índices de infestação, além do Aeroporto, o bairro Maria Leite registrou o índice de 1,77% de infestação do mosquito transmissor, seguido do Popular Velha com  0,88%; Nova Corumbá, 0,84% e Cristo Redentor, com 0,77%. Nesta terça-feira (04) o Maria Leite recebe a ação do CCZ das 07 às 11 horas e das 13 às 17 horas, nas ruas Eugênio da Cunha, Nossa Senhora da Conceição, São João e São Francisco. Na quarta-feira, 05 de novembro, é a vez do bairro Nova Corumbá, nos períodos da manhã e tarde nas ruas Paraíba, Allan Kardec, Ceará e República da Bolívia. Na quinta-feira, 06 de novembro, bairro Popular Velha, na Alameda São Felipe e nas ruas Tenente Melquíades, Geraldino Maciel de Barros e Teodomiro Serra. Na sexta-feira, os agentes encerram a semana  no bairro Cristo Redentor atendendo as ruas Frei Mariano, Paraná, Tiradentes e Minas Gerais. O sexto LiraAa apontou uma incidência de infestação do mosquito transmissor da dengue de 0,42% na cidade, com índices superiores nestas regiões que recebem as ações de prevenção. Tayná Biazus