19 de abril de 2021
Campo Grande 31º 20º

Douradense, Rachel Magrini defende papel das mulheres na advocacia

A advogada Rachel Magrini, que foi Diretora Secretária-Geral da OAB/MS e Diretora Presidente da Escola Superior da Advocacia de Mato Grosso do Sul – ESA/MS durante outras gestões da entidade defende mudanças na estrutura da ordem em Mato Grosso do Sul especialmente para garantir direitos e participação das mulheres.

“As advogadas não tem suspensão de prazo durante a gravidez ou maternidade e no Tribunal eu já tive que esperar quatro horas para amamentar minha filha por não haver previsão no regimento do Tribunal. São inúmeros os preconceitos e dificuldades para as advogadas atender clientes em presídios, delegacias e dentro de outros órgãos onde o machismo e a discriminação contra a mulher ainda persiste. E nós queremos mudar isso. E somente a Ordem pode fazer a mulher advogada ser respeitada”, ressalta Rachel Magrini defendendo que sejam criados espaços destinados para os filhos de advogadas em audiência, espaço para amamentação, prioridade de atendimento e de audiência para advogadas lactantes e grávidas, anuidade diferenciada para advogadas gestantes e a suspensão de prazos durante o primeiro mês após o parto.

Rachel é candidata a vice-presidente da seccional de Mato Grosso do Sul da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/MS), pela chapa Novos Rumos – 33. A proposta do grupo, cujo candidato é Jully Heyder, é aproximar a OAB/MS dos profissionais do interior do Estado e melhorar as condições para o exercício da advocacia, colocando em primeiro lugar o resgate do respeito ao advogado.

“Precisamos cuidar dos advogados e da nossa profissão, pois os profissionais da advocacia estão desamparados, em razão de uma Ordem frágil e distante dos advogados. Temos dificuldades em todos os setores. Por isso, somos uma chapa de oposição, que busca dar novos rumos para a advocacia e para a situação que a OAB se encontra”, explica Rachel Magrini, que é douradense.

“Nós temos a convicção que a OAB precisa mudar. A OAB, da forma como está, não representa mais os anseios da advocacia. São cinco chapas da situação que defendem a continuidade de algo que não está bom para a advocacia e nós somos a única oposição. A Ordem precisa voltar a ser a casa dos advogados. E nós temos esse compromisso de construir uma OAB mais próxima de Dourados e com mais amparo aos profissionais de todo o Mato Grosso do Sul”, afirma a candidata a vice apontando que o candidato a presidente Jully Heyder também é do interior e começou a advogar em Camapuã.

As eleições para a OAB/MS ocorrem no dia 20 de novembro. Em Dourados são 1.275 advogados inscritos.