22 de janeiro de 2021
Campo Grande 30º 20º

Estoque de farmácia é uma das prioridades de Heitor para a saúde pública

Além da entrega de remédios realizada quinta-feira, 10, outras prioridades foram e estão sendo tomadas pela administração do prefeito Heitor Miranda dos Santos (PT) para melhorar e ampliar a capacidade de atendimento da saúde pública em Porto Murtinho. O prefeito disse que pretende cobrir toda a disponibilidade de estoque da farmácia básica, mas além disso outras providências e investimentos estão em curso, como a construção, a reforma e ampliação de unidades de saúde (incluídos os postos em obras e o próximo a ser erguido, no Bocaiuval) e a continuação do programa de modernização do Hospital Oscar Ramirez Pereira.

 Todos esses investimentos começaram a ser concretizados em 2013, no primeiro ano desta administração, quando a Prefeitura superou o limite mínimo obrigatório de comprometimento da receita municipal com a saúde, que é fixado em 15% e em Porto Murtinho foi de 28% naquele exercício. A tendência vem sendo mantida em 2014, pontua o secretário municipal de Saúde, Franklin Salazar.

“Temos uma extensa pauta de serviços novos e investimentos na área, que implicam aquisição de equipamentos de artigos hospitalares e viaturas, ampliação da capacidade de atendimento”, descreve Salazar. Ele salienta ainda que a atual política pública de saúde murtinhense intensifica também as ações preventivas e campanhas de conscientização e mobilização da sociedade, sempre em articulação com a Prefeitura e a Secretaria. Nesse contexto ele cita algumas das iniciativas já efetivadas como as ações e campanhas contra a dengue, a tuberculose e o câncer, todas com participação popular.

Da remessa de medicamentos entregue por Heitor e Salazar nesta quinta-feira fazem parte antibióticos, antiinflamatórios e remédios de exclusivo uso hospitalar. O prefeito informou que esta foi uma intervenção ainda para socorrer as necessidades mais imediatas. Porém, assegurou que já foram feitos os levantamentos para a reforma emergencial do hospital e a compra de equipamentos. “Queremos ir melhorando e capacitando a infraestrutura do nosso hospital para que seus funcionários, corpo clínico, pacientes e acompanhantes tenham comodidade, sejam bem-atendidos e aos poucos, juntos, possamos estar construindo e consolidando uma política de referência em saúde”, enfatizou Heitor.

Edson Moraes, especial para o MS Notícias