27 de outubro de 2020
Campo Grande 28º 22º

Murilo tem a pior avaliação entre os ex-prefeitos e perde a chance de ser um “líder regional”

Enquanto o governador André Puccinelli (PMDB) invade reiteradas vezes a cidade de Dourados trazendo na bagagem malas e mais malas de “recursos” para a realização de obras o prefeito Murilo Zauith (PSB) perde a sua grande e, talvez, única ou última chance de se consolidar como um líder político regional.

Com a faca e o queijo mão, Murilo que já comanda um partido em nível estadual demonstra fraqueza de ânimo na condução da administração do segundo e mais importante município de Mato Grosso do Sul, não dando conta de atender as mínimas demandas da população, principalmente, no que diz respeito à saúde e conservação do asfalto, sendo contar com os tropeços políticos no relacionamento com as lideranças comunitárias e até mesmo com os vereadores.

Uma pesquisa de opinião pública “apenas para consumo interno” mostra que Murilo tem a pior avaliação entre os mais recentes ex-prefeitos de Dourados. Ele perde até para o falecido ex-prefeito Ari Artuzi. Na avaliação dos eleitores o governo de Murilo não é uma coisa boa de se lembrar. Eles preferiram dizer que as administração de Tetila e de Artuzi foram melhores.

Nem mesmo a enxurrada de publicidade no rádio e na televisão está sendo suficiente para estancar os números desfavoráveis para Murilo que claudica na falta de vontade de ser prefeito, conforme já disse a vereador Virginia Magrini, sua única opositora na Câmara Municipal. Assessores mais próximos de Murilo não vislumbram mudanças na forma de administrar e muito menos a possibilidade da opinião da população mudar radicalmente.

Com esta situação o prefeito de Dourados acaba não convencendo seus aliados e sobra apenas mostrar publicamente que nem seu nome e muito menos seu partido o PSB, não terão nenhum “cheiro” na eleição de 2014. Pulando para 2016, Murilo corre o risco não eleger seu sucesso a continuar assim dissonante com os números das pesquisas.

Heloísa Lazarini