27 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 23º

CORUMBÁ

Obra de R$ 200 mil foi superfaturada por prefeito e custou R$ 800 mil em MS

Com o super-preço seria possível construir quatro novos terminais rodoviários no Município

Em setembro de 2017, no primeiro ano de seu terceiro mandato, o prefeito Ruiter Cunha (PSDB), de Corumbá, anunciou a execução de 15 obras reivindicadas pela população. Uma delas, a readequação do terminal para embarque e desembarque de passageiros, orçada em R$ 200 mil. O investimento estava ajustado ao fôlego orçamentário do Município e tinha sua concepção projetada de acordo com as necessidades de fluxo e acessibilidade dos passageiros.

Ruiter, no entanto, não conseguiu nem dar início à obra. Morreu em 1º de novembro daquele mesmo ano. Logo em seguida o seu vice, Marcelo Iunes, então filiado ao PDT, assumiu a titularidade do cargo, com o compromisso de dar sequência ao programa de obras que herdou do gestor tucano. Já se passaram dois anos e meio da morte de Ruiter e em igual período o mandato de Iunes não decolou, deixando de lado o compromisso que fez com o falecido gestor tucano.

Uma das obras anunciadas no “pacote” de Ruiter em 2017 – o terminal de passageiros - poderia ser incluída agora por Iunes no compromisso que assumiu ao ser investido no mandato. Mas o prefeito toma pelo avesso a palavra dada a Ruiter e lança uma nova obra, desfigurada do projeto inicial e com novo e suspeito cálculo de custos: do investimento de R$ 200 mil estimado há quase três anos, a obra anunciada por Iunes foi apreçada em R$ 796.714,93, perto dos R$ 3 milhões ou quase quatro vezes o que seria investido pela prefeitura na gestão de Ruiter.

Com esse valor apreçado por Marcelo Iunes – hoje filiado ao PSDB e pré-candidato às reeleição – daria para construir, se necessário, até quatro terminais rodoviários de porte semelhante. Ou, em outra projeção, a prefeitura poderia utilizar cerca de R$ 596 mil em outros investimentos de primeira necessidade, como na saúde, para reforçar os meios de prevenção e combate à pandemia do Covid-19, ou na melhoria da pavimentação.

A milionária obra da rodoviária foi confiada à vencedora da concorrência, a empresa AM Construtora Comércio e Serviços Ltda, por meio da Tomada de Preços de número 023/2019.