27 de outubro de 2020
Campo Grande 28º 22º

Ucrânia diz que tropas russas na Crimeia dobraram para 30 mil

A Rússia tem atualmente 30 mil militares na região ucraniana da Crimeia, quase o dobro do número divulgado no início da semana pelo governo de Kiev -- 16 mil --, disseram guardas de fronteira da Ucrânia nesta sexta-feira (7). Serhiy Astakhov, assessor do chefe do serviço de guardas da fronteira, disse à Reuters que o número é uma estimativa que inclui tanto os militares da frota russa do mar Negro, que têm base permanente em Sebastopol, quanto nossos soldados enviados pelo país vizinho nos últimos dias. A Rússia, cujas forças ocuparam a península da Crimeia na semana passada, diz que as únicas tropas que possui na região são aquelas como base no porto de Sebastopol. Como a presença de monitores internacionais tem sido impedida por milícias e por autoridades locais na Crimeia, não é possível determinar de maneira independente as alegações de ambos os lados. As tropas russas que ocuparam posições na Crimeia não possuem insígnias em seus uniformes, mas dirigem veículos com placas militares russas. A Ucrânia diz que milhares de tropas extras chegaram e foram espalhadas pela península ocupada, em violação ao tratado que regulamenta a base militar. A Crimeia oi parte da Rússia até 1954, quando o então dirigente soviético Nikita Kruschev passou seu controle à Ucrânia. Após a queda do ex-presidente Viktor Yanukovich, em fevereiro, as populações das regiões sul e leste do país foram às ruas para protestar contra o que consideraram um golpe de Estado. A Rússia, aliada de Yanukovich e com interesses na região, apoia esse movimento. A península da Crimeia, de maioria étnica e língua russas e atualmente com um regime de república autônoma da Ucrânia, está sob controle de forças pró-Moscou desde 28 de fevereiro. Agência UOL