27 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 23º

Décimo terceiro de funcionários de hospitais filantrópicos está atrasado por falta de verbas

Em assembleia geral extraordinária convocada pela Fedesul (Federação das Instituições Filantrópicas e Beneficentes do Mato Grosso do Sul) realizada neste momento na Santa Casa de Campo Grande, os hospitais associados discutem o atraso do pagamento do décimo terceiro salários dos funcionários.

De acordo com a presidente da Fedesul, Rosa Conceição da Costa Vilas Boas, os hospitais estão passando por dificuldades financeiras e não tem de onde tirar recursos para pagar o benefício dos profissionais contratados. “A primeira parcela venceu no dia 30 de novembro e ainda não pagamos. Encaminhamos uma solicitação pedindo ajuda à Secretaria Estadual de Saúde”, explicou.

Nilo Leme, representando o secretário estadual de saúde Antônio Lastória, respondeu que o governador André Puccinelli (PMDB) já está ciente da solicitação, mas não apresentou uma resposta definitiva ainda. “Rezo para que venha a autorização e, o mais breve possível, faremos o depósito. Só depende da caneta do governador”, brincou.

Após a crítica de um participante que questionou se precisariam ser feitos protestos para que os governantes ajudem na solução, Rosa rebateu que foi até a Governadoria pedir uma audiência com o governador para que “a caneta funcione”.

Alcides Charão Ariano, presidente do Hospital Regional de Amambai explicou que não tem verba para pagar os R$ 110 mil do décimo terceiro de seus 70 funcionários, mas se o Estado aceitar fazer o pagamento de metade do valor, a prefeitura municipal do município se comprometeu a quitar a outra metade.

No caso da Santa Casa de Campo Grande, o diretor-presidente da instituição, Wilson Teslenco, reafirmou que o secretário municipal de saúde, Ivandro Fonseca, se comprometeu a pagar a dívida que a prefeitura possui com a entidade no valor de R$ 6 milhões, garantindo assim o décimo terceiro dos funcionários. Além disso, o secretário garantiu que o município arcará com metade das parcelas de empréstimo a ser contraído pelo hospital.

Além do décimo terceiro dos funcionários, está em pauta para a reunião o ProSus, programa do Governo Federal para acabar com as dívidas de impostos das Santas Casas, a nova lei da filantropia e a reestruturação da Santa Casa de Campo Grande.

Diana Christie e Tayná Biazus