26 de outubro de 2021
Campo Grande 29º 17º

#LUTO | POLÍTICA

Médico campo-grandense que fundou o PT, Carlos Neder morre de Covid-19

"Neder vive em nós, porque somos um projeto político que teima em garantir uma vida com direitos, assim como ele teimou", diz nota do Partido

A- A+

O médico campo-grandese fundador do PT, Carlos Neder, morreu aos 67 anos na noite desta sexta-feira (24.set.21) após complicações decorrente da covid-19. Neder estava internado no hospital São Camilo, em São Paulo, desde 8 de agosto devido à doença.

Em nota oficial, o Coletivo Nacional de Saúde do PT, do qual o médico fazia parte, confirmou a morte.

Por meio de nota oficial o coletivo destacou que Neder "trilhou um caminho de lutas e sonhos" e "deixou seu legado na história do Estado de São Paulo, defendendo a educação, a ciência e a reforma agrária popular". O coletivo informou ainda que não haverá velório do líder político devido à pandemia. "Que nossos pensamentos de paz e gratidão alcancem todos os familiares e amigos", concluiu.

"Deixou seu legado na história do Estado de São Paulo, defendendo a educação, a ciência, a reforma agrária popular. Revolucionou a capital como Secretário de Saúde do governo Luiza Erundina, ampliando serviços ao mesmo tempo que fortalecia os instrumentos de democracia e participação popular na política. Foi um dos fundadores do PT e se dedicou a lutar pelas bandeiras históricas do partido.

Neder vive em nós, porque somos um projeto político que teima em garantir uma vida com direitos, assim como ele teimou.

Nossa solidariedade a sua família e ao Coletivo Cidadania Ativa.

Carlos Neder nasceu em Campo Grande (MS) e foi para São Paulo em 1970 e ingressou na Faculdade de Medicina da USP em 1973. Formou-se em 1979 e em agosto de 1980 assumiu como médico no Centro de Saúde de Cidade A. E. Carvalho, na zona leste da capital paulista. Em 1985 foi diretor de Planejamento do Módulo de Saúde de Itaquera. Convidado pela prefeita Luiza Erundina, foi chefe de gabinete (1989-1990) e secretário de saúde (1990-1992).

Neder foi eleito vereador pela primeira vez em 1996 e exerceu quatro mandatos na Câmara Municipal. Posteriormente, em 2005, assumiu pela primeira vez como deputado estadual, na condição de suplente em exercício, tendo sido reeleito para um terceiro mandato estadual na legislatura 2015-2018.

Nascido em uma família marcada pela luta contra a ditadura militar, que resultou em prisões, perda de direitos políticos e posterior anistia, Carlos Neder participou do Centro Acadêmico Oswaldo Cruz, órgão representativo dos alunos da Faculdade de Medicina da USP, e participou das lutas pela redemocratização do país.

No PT, partido que ajudou a fundar, foi presidente do Diretório Municipal de Ermelino Matarazzo, vice-presidente do Diretório Municipal, assessor de saúde do deputado Roberto Gouveia e depois da bancada do PT na Assembleia Legislativa. Por último, esteve como um dos integrantes do partido que se posiciona mais à esquerda. Neder defendeu a necessidade de uma profunda renovação do PT, incluindo a construção de um projeto político e conteúdo programático com atenção os novos desafios impostos à esquerda no Brasil e no mundo.