22 de setembro de 2020
Campo Grande 27º 18º

Parlamentares estudam entrar com ação civil pública para manter juizados nos bairros

O vereador Chiquinho Telles (PSD) e o deputado estadual Marquinhos Trad (PMDB) estudam entrar com uma ação civil pública para manter os juizados especiais do TJMS (Tribunal Justiça de Mato Grosso do Sul) nos bairros, caso o desembargador Joenildo de Sousa Chaves mantenha a decisão de mudar os juizados para o shopping 26 de Agosto, localizado na região central de Campo Grande.

Chiquinho Telles já solicitou uma audiência com o desembargador e Marquinhos tentará acelerar o encontro. “O Marquinhos Trad vai junto comigo até o Joenildo para ter uma conversa com ele. Queremos saber qual o motivo de centralizar o juizado. Caso a gente não tenha resposta positiva, podemos entrar com ação civil pública”, explicou. Como terceira alternativa, os parlamentares cogitam pedir a intervenção do governador André Puccinelli (PMDB).

De acordo com Telles, somente a 4ª Vara do Juizado Especial Cível e Criminal, localizada na Moreninha II – região sul da Capital – possui três mil processos em andamento e atende entre 50 a 60 pessoas por dia. “Tem mais de 15 anos que o juizado está por aqui. A população usa. Tem gente aqui que não tem o vale transporte para ir ao centro. Esse juizado ajuda a desafogar o fórum de Campo Grande. Descentralizar os órgãos públicos tem que ser ação do governo”, defendeu.

Além da unidade das Moreninhas, a 5ª Vara do Juizado Especial Cível e Criminal, que funciona dentro da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) no bairro Jardim Seminário – região oeste, a 9ª Vara do Juizado Especial Cível – Trânsito, localizada na Vila Glória – região central, o Núcleo de Solução de Conflitos e a Escola Judicial devem ser transferidos para o shopping 26 de Agosto.

Diana Christie