28 de julho de 2021
Campo Grande 14º

Almir Sater defende valorização dos índios

A- A+

Demonstrando total conhecimento ao falar dos conflitos por terras em Mato Grosso do Sul, o cantor e compositor Almir Sater ressaltou que o Estado não precisa viver esse clima tenso e destaca a importância da cultura indígena. “Acho que não precisava disso, não tem necessidade de usar a violência para isso. Os índios vivem em situação de miséria e isso é triste, temos que valorizar a cultura deles, eles são importantes”.

Sobre a demarcação de terras, o violeiro afirma que é a favor, mas não basta, apenas, dar terras aos índios. “Sou a favor sim, mas não é só dar terra aos índios, o certo seria oferecer condições de trabalho para eles porque dessa forma, eles seriam mais valorizados. De que adianta dar a terra se não tem como eles produzirem, é a mesma coisa que a gente, nós recebemos as condições e trabalhamos para conseguir o sustento. Tem que ser assim para todos. Essa situação de hoje não faz bem nem para índios nem para os produtores que tem suas propriedades ocupadas”.

Almir pontua que sangue não faz bem para ninguém e que se existe uma lei, ela deve ser cumprida. “Sangue só gera sangue. Essa situação não é boa para ninguém. Eu acredito que se existe uma lei, ela tem que ser cumprida e as pessoas têm que aprender a votar melhor, porque temos que votar em políticos que fazem e não em cabrestos”.

Preocupado com o bem estar da população do Pantanal, Almir criou a Escola Pantaneira, próximo ao município de Aquidauana que atende crianças da região de segunda à sexta-feira. “Criamos esta escola para evitar que as crianças sintam um desgaste físico, porque em Maracajú tem crianças que acordam 3h da manhã para conseguir chegar na escola às 8h. Como que uma criança cansada ainda vai ter vontade de aprender. Pensando nisso, criamos a escola e as crianças ficam hospedadas lá de segunda à sexta-feira”.

Almir ressalta com orgulho que os primeiros alunos de sua escola estão se formando em medicina. “Os primeiros alunos estão se formando agora e eu tenho muito orgulho disso. Significa que nosso ensino foi bom e ajudou os alunos a se formarem”.

Dany Nascimento