25 de setembro de 2020
Campo Grande 36º 22º

PDT continua firme ao lado de Delcídio, afirma deputado

O deputado Junior Mochi (PMDB) afirmou que pretende procurar o PDT (Partido Democrático Trabalhista) para tentar formar uma aliança no Estado, já que o PT (Partido dos Trabalhadores) ofereceu vaga de vice-governador ao PR (Partido da República). Mochi acredita que ao abrir portas ao PR, o PT estaria cortando laços com o PDT no Estado. Ao contrário do que acredita Junior Mochi, a relação entre o PDT e o PT continua com total harmonia, pois de acordo com o deputado estadual Felipe Orro (PDT), o partido caminhará ao lado do pré-candidato ao governo do Estado, Delcídio do Amaral (PT). “Nós vamos continuar caminhando com o PT no Estado porque essa decisão de oferecer a vaga de vice ao PR foi tomada em comum acordo entre os partidos. Chegamos a um entendimento e vamos continuar caminhando ao lado de Delcídio nas eleições de 2014”, explica o deputado. Projeto aprovado Durante a sessão de hoje, a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) de autoria do deputado foi aprovada em primeira votação e prevê a transformação de todas as escolas estaduais de ensino fundamental em escolas de tempo integral. O projeto segue agora para segunda e última votação e sendo novamente aprovado, será promulgado pelo presidente da Assembleia deputado Jerson Domingos (PMDB). “Estamos confiantes na aprovação dessa PEC, é um marco, um começo, um compromisso do Estado com a Educação de qualidade. A partir desse dispositivo constitucional teremos uma lei complementar estabelecendo os prazos para que todas as escolas de ensino fundamental sejam transformadas em escola de tempo integral. Pode demorar cinco, 10 anos, mas ao menos teremos um prazo”, disse Felipe Orro. De acordo com o deputado, a implantação das escolas em tempo integral será feita de forma gradativa. “A implantação não será repentina, porque isso o Estado não teria condições de custear. Mas de forma gradativa, avançando a cada ano até que todas as escolas funcionem no período integral, e aí teremos completado um ambicioso projeto que será o divisor de águas no setor educacional de nosso Estado”, afirma Felipe Orro. O deputado conseguiu o apoio de outros nove parlamentares para a tramitação da PEC: George Takimoto (PDT), Marcio Monteiro e Onevan de Matos (PSDB), Mara Caseiro (PTdoB), Lauro Davi (Pros), Laerte Tetila e Amarildo Cruz (PT), Junior Mochi (PMDB) e Lídio Lopes (PEN). Em Mato Grosso do Sul as escolas em tempo integral ainda representam menos de 10% do total de unidades (356). O programa Mais Educação – Educação Integral, com recursos federais, começou a ser implantado em 2008 em duas escolas de Campo Grande: Escola Estadual Antônio Delfino Pereira e Escola Estadual Luísa Vidal Borges Daniel. Em 2009 passou para quatro unidades, em 2010 chegou a 24 e manteve esse número em 2011, e em 2012 atingiu 31 escolas. Aí parou, não houve avanço no programa em 2013 e 2014. Dany Nascimento