13 de maio de 2021
Campo Grande 25º 15º

Governo de MS

Azambuja cobra de secretários desempenho, austeridade e interlocução com DF

A- A+

Em sua primeira reunião do ano com os secretários, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) reafirmou que a austeridade e o desempenho administrativo serão os carros-chefes da gestão nos próximos quatro anos. Em cerca de três horas de conversa, ele reiterou sua confiança na capacidade dos escolhidos, porém ressalvou que cada um será exigido e cobrado nas metas propostas e nos resultados setoriais e conjunturais.

O governador disse ainda que espera contar com a criatividade e  visão da equipe na elaboração de projetos cuja execução depende dos pareceres em áreas técnicas do governo federal. Considerou que a presença de dois sul-mato-grossenses no Planalto - os ministros Tereza Cristina, de Agricultura, e Luiz Henrique Mandetta, de Saúde - são indicadores extremamente positivos para alavancar as demandas do Estado.

Sobre os mecanismos e as regras de enxugamento da máquina, Azambuja asseverou que o governo estará bem calçado, institucional, administrativa e politicamente, levando em conta o papel da maioria na Assembleia Legislativa, aonde a bancada governista conta, em princípio, com o apoio de 16 dos 24 deputados estaduais eleitos.

Ele classificou como medidas indispensáveis e imperativas a redução drástica do comprometimento da folha de salários, situando que um passo já foi dado com a extinção e a exoneração de quase dois mil cargos em comissão e nomeados que os ocupavam. Nos próximos dias será concluída a definição dos nomes que ainda restam para completar o staff governamental, sobretudo nas autarquias.

Sobre a interlocução com Brasília, Azambuja reprisou as palavras de total confiança nas garantias que o presidente Jair Bolsonaro vem dando ao trabalho a ser executado por Tereza Cristina e Mandetta. Os dois ministros são hoje, segundo Azambuja, as pontes que tornam Mato Grosso do Sul bem mais próximo do governo federal.