21 de janeiro de 2021
Campo Grande 28º 21º

Biffi acredita que abandono de médica cubana do programa Mais Médicos foi combinado com DEM fora do

Antonio Carlos BiffiA atitude da médica cubana Ramona Rodriguez, que deixou o programa Mais Médicos e pediu ajuda diretamente ao partido DEM (Democratas), vem gerando “desconfianças” entre os petistas. Os deputados Pedro Kemp (PT), cabo Almi (PT) e Amarildo Cruz (PT) afirmaram que essa atitude da médica deixou claro a existência de um “jogo” do DEM na tentativa de denigrir a imagem do programa Mais Médicos, considerado um dos mais importantes no governo da presidente Dilma Roussef (PT).

Se existe uma “estratégia” ela vem sendo percebida tanto na ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) quanto nos corredores do Senado Federal em Brasília, pois segundo o deputado federal Antonio Carlos Biffi (PT), o comportamento da médica pode ter sido “combinado entre os membros do DEM”.

“Tudo isso pode ter sido combinado antes mesmo da médica chegar no Brasil. O programa tem 6 mil médicos, até agora 25 deles se afastaram, mas por problema de saúde, entre outras coisas. Agora este fato, com certeza foi combinado, faz parte de um jogo político e como ela, ainda teremos mais casos como este com intuito de prejudicar o que já é um grande sucesso no Brasil, que é o caso do programa Mais Médicos”, diz Biffi.

“Estratégia política” ou não, a médica cubana vem conquistando espaço no Brasil, pois Ramona foi contratada ontem (11) pela Associação Médica Brasileira (AMB) para exercer funções administrativas de assessoria às diretorias da instituição e à presidência da entidade e receberá um salário de R$ 3 mil por mês, além de vale-refeição, vale-transporte e plano de saúde – no total, a cubana deve receber em torno de R$ 4 mil.

Dany Nascimento