03 de agosto de 2020
Campo Grande 31º 18º

CNA vai denunciar no CNJ juíza que cancelou o Leilão dos produtores rurais

De acordo com a senadora e presidente da CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil), Kátia Abreu (PMDB-TO), a Confederação irá entrar com uma ação no CNJ (Conselho Nacional de Justiça) denunciando a juíza da 2ª Vara Federal, Janete Lima Miguel, que determinou esta semana o cancelamento do Leilão da Resistência.

O evento que já conseguiu uma liminar na justiça para ser realizado havia sido cancelado pela juíza com a alegação de que a ação visava substituir a responsabilidade do Estado em prestar segurança à população e incitava o confronto entre índios e produtores no Estado.

Para a senadora a atitude de Janete Miguel deve ser analisada e punida. “A Confederação vai entrar com uma representação no CNJ contra a juíza por crime de parcialidade, tendo em vista que ela não pode tomar uma decisão a partir de matérias vinculadas na imprensa”, disse.

Kátia ressalta ainda as reais intenções que segundo ela tem a ação dos produtores do Estado. “Não temos a intensão de causar violência ou fazer milícia como dizem, buscamos apenas o direito que nos é constitucional que é o direito de possuir uma propriedade”, afirma.

A senadora que avaliou a liminar autorizando a ação uma vitória para a classe, disse também que no próximo dia 11 a CNA vai realizar uma ação no Senado Federal para pressionar o ministro da Justiça, José Cardozo, a quem ela se refere como “ministro dos índios”. “Nosso objetivo é que ele concretize a promessa que fez e faça a compra das terras e resolva de uma vez esse problema”, finaliza.

Clayton Neves e Heloísa Lazarini