11 de agosto de 2020
Campo Grande 33º 20º

Críticas de Bernal contra Processante não vão abalar PMDB

Tayná Biazus

Após a abertura da CP (Comissão Processante) que irá investigar possíveis irregularidades da atual administração de Campo Grande, do preito Alcides Bernal (PP), tem como mesa Edil Albuquerque (PMDB), como presidente, Flávio Cesar (PT do B) como relator e Alceu Bueno (PSL) como membro.

A atual administração (PP) e a administração passada (PMDB) possuem desacordos, e devido a isso, especula-se que a CP foi aberta exclusivamente por cunho político.

Aqueles que são a favor de Bernal acreditam que tendo como presidente da processante um vereador da oposição poderia influenciar no relatório final. Para o deputado estadual e presidente da bancada da sigla na AL (Assembleia Legislativa) Júnior Mochi (PMDB), não há o porque pensar que haverá essa possível influência.

Mochi admite que na questão da Capital, os deputados prestam total apoio aos vereadores peemedebistas e apoiarão todas as questões que serão por eles determinadas. Para o deputado há fortes indícios de irregularidades graves cometidas pela atual administração.

Perguntado se é possível que Bernal critique a CP por ter Edil como presidente Mochi responde “Não importa o que Bernal pense o que interessa é a verdade. A processante vai avaliar tudo que já foi levantado para só depois ouvir as respostas do prefeito”.