26 de outubro de 2020
Campo Grande 27º 22º

Delcídio pede a vereadores governabilidade entre Legislativo e Executivo

Foto: Moreira Maris/Agência Senado

O senador Delcídio do Amaral disse que a reunião com o secretário de governo na administração do Alcides Bernal (PP), Pedro Chaves, juntamente com os vereadores Paulo Siufi (PMDB), Paulo Pedra (PDT), Alceu Bueno (PSL), Chocolate (PP) e Edson Shimabukuro (PTB), realizada no dia 02 desse mesmo mês, foi para tratar de sua candidatura ao governo em 2014, e para falar sobre a governabilidade que esses vereadores que são da oposição ao Bernal precisam manter.

“Eu falei para os vereadores da importância de se manter uma governabilidade entre Legislativo e Executivo. Não é que eu queira mudar a opinião deles sobre o prefeito, é que essa oposição atrapalha os trabalhos tanto na Câmara Municipal como na prefeitura. Se a prefeitura está fragilizada, pode ter certeza que isso se reflete no Legislativo”, afirmou Delcídio.

Questionado por que convidou somente esses vereadores e deixou o restante de fora da reunião, Delcídio afirmou que quando esse grupo soube da reunião foram os primeiros a se interessarem pela conversa. “Quando combinamos a reunião, foi esse grupo da oposição ao Bernal que se dispôs a conversou comigo. Não é por que eles são contrários ao prefeito que eu não iria ouvi-los”, destacou.

Delcídio revelou que possui uma grande amizade com os cinco vereadores. Ele chegou a exemplificar encontros que teve com alguns. “Já fiz muito política com esses vereadores, por exemplo, o Chocolate sempre andava comigo nas minhas campanhas a fora e o Paulo Pedra que representa muito bem seu partido, sempre discutiu comigo algumas coisas. Por esse motivo me sinto seguro durante a reunião que mostrou que esses projetos juntos valerem à pena”, comentou.

Candidatura ao senado - O senador Delcídio disse ainda que por conta dos jogos esportivos da Copa de 2014, já antecipou sua campanha como candidato ao governo. “Ando por todo o Estado fortalecendo meu nome ao governo no ano que vem. Estou igual um andarilho pelas cidades do interior e fazendo pegar meu perfil de “senador de todos” como dizem por aí. Não estou me precipitando, é que quando começar os jogos da Copa ninguém mais vai pensar em política, todos irão querer assistir as partidas”, finalizou.

Alan Diógenes