24 de setembro de 2020
Campo Grande 34º 20º

COMISSÃO

Deputado acusa colegas de boicotar andamento da CPI da Energisa em MS

A primeira sessão da CPI da Energisa acontece amanhã (5) na ALMS

O deputado estadual Felipe Orro (PSDB) manifestou preocupação com alguns colegas que, segundo ele, estão inviabilizando a Comissão Parlamentar de Inquérito da Energisa, criada no ano passado, a comissão pouco avançou de lá prá cá. Orro acusa seus companheiros de estarem boicotando os trabalhos. Além disso, segundo Orro, tem enfrentado lobby de pessoas que não tem interesse na CPI. A declaração foi feita na abertura dos trabalhos na Assembleia Legislativa nessa terça-feira (4), em Campo Grande. 

“Não pode só o presidente fazer tudo sozinho e se os deputados não participarem vou pedir a substituição deles na CPI”, ameaçou Orro, segundo o site Maritaca News.  

Em Cuiabá, no Mato Grosso, a Energisa foi condenada a pagar multa de R$ 6,5 mil por danos morais a uma cliente, segundo decisão judicial, após cobrar altos valores em contas de energia e sujar o nome da usuária. A empresa enviou resposta ao MS Notícias sobre a decisão judicila no estado vizinho. "A Energisa reforça que todos os procedimentos de recuperação de consumo são feitos de forma legal e seguindo as normas que regulamentam o setor elétrico. A empresa está avaliando a decisão proferida para dar seguimento ao caso", disse a empresa por meio de Nota.

A primeira sessão da CPI da Energisa será realizada nesta quarta-feira (05), a partir das 14h, na Assembleia Legislativa.

Neste primeiro encontro, os deputados integrantes da comissão avaliarão o cronograma de atividades, investigações e coleta de depoimentos de testemunhas que serão realizadas ao longo do ano.

Orro disse que nesta primeira sessão do ano será avaliado o cronograma dos trabalhos. "Vamos analisar quais são as oitivas que estão previstas para serem realizadas e avaliar a necessidade de se realizar sessões sigilosas para coletar esses depoimentos, visando resguardar a identidade dessas testemunhas. Há a previsão também de termos conhecimento do plano de trabalho a ser apresentado pelo relator", explicou Felipe Orro. O relator da CPI da Energisa é o deputado estadual Capitão Contar (PSL).

A Comissão que investiga possíveis irregularidades nas aferições realizadas pela concessionária Energisa foi instaurada pela Mesa Diretora da Assembleia Legislativa no dia 12 de novembro do ano passado. 

Os trabalhos da CPI da Energisa tem prazo de 120 dias para serem realizados, podendo ser prorrogado, de acordo com o presidente da Comissão.