24 de outubro de 2020
Campo Grande 29º 23º

Deputado critica governo estadual por fazer distinção entre classes policiais

Após o veto do governador André Puccinelli (PMDB) sobre um projeto do deputado Cabo Almi (PT), que prevê que todos os policiais feridos em serviços e que, por este motivo se tornem inativos, recebam seus honorários como se estivessem trabalhando, o parlamentar defende-se.

De acordo com o petista, o governo do Estado fica mostrando em propagandas e na mídia que a segurança foi reforçada em Mato Grosso do Sul, porém, no momento em que o governador deveria fazer a parte dele, nada é realizado.

O Cabo afirma que os direitos dos policiais não estão sendo executados, principalmente se tratando da classe dos policiais civis, que hoje possuem o pior salário do Brasil e reivindicam através de campanhas melhores condições de trabalho. Ele lembra que hoje acontece a entrega de 78 viaturas para as polícias civil, militar e militar rodoviária de 22 municípios de Mato Grosso do Sul, porém essa entrega não é com recursos do governo, mas sim, o Ministério da Justiça é quem está fazendo destinando.

Outra questão lembrada é que há mais verbas sendo destinadas pelo governo do Estado somente para a polícia militar. O parlamentar afirma que a polícia civil hoje cumpre um papel fundamental e que não deveria haver distinção. “O governador não poderia ter um olhar diferente para a polícia militar, sendo que, ela precisa da polícia civil e a polícia civil também precisa da militar”.

O deputado finaliza dizendo que essa questão da não valorização da classe é uma falha do governo estadual e que não deveria se abrir mão de investimentos quando se tratar da segurança da população sul-mato-grossense.

Tayná Biazus e Dany Nascimento