05 de agosto de 2020
Campo Grande 31º 16º

Diretor da Telemídia diz que Gisa não foi instalado por falta de boa vontade

Clayton Neves

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da saúde ouviu na tarde de hoje Naim Alfredo Beydoun, presidente da Telemídia, empresa responsável pela criação do sistema Gisa. O sistema avaliado em R$10 milhões foi desenvolvido para que pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde) pudessem agendar suas consultas por telefone, no entanto, até o momento o projeto não está disponível à população.

De acordo Naim Beydoun o sistema ainda não está em operação por conta da baixa potência das redes de internet da prefeitura, que possuem capacidade inferior a que o programa precisa para rodar. “A prefeitura tinha conhecimento de tudo que era preciso fazer para o programa funcionar, se não foi feito isso já não é minha culpa”, disse.

Questionado se tinha ciência da falha na rede da prefeitura, o presidente da Telemídia foi certeiro e disse que de acordo com o edital de licitação as redes e servidores eram de responsabilidade da prefeitura. “Fui contratado para desenvolver um software e não para cuidar da rede de Campo Grande”, afirma.

Naim relata ainda que além do valor de quase R$10 milhões que foram investidos pelo governo, a própria Telemídia fez o investimento de aproximadamente R$ 2,5 milhões no projeto. “É muito difícil um empresário fazer o que eu fiz e investir o próprio dinheiro na área pública”, conta. Ele diz que fez o investimento porque quer que seu sistema seja referência no país.

O presidente da telemídia disse ainda que o sistema Gisa já está 96% concluído e afirma que o projeto ainda não foi disponibilizado à população devido à falta de interesse do atual secretário de saúde da capital Ivandro Fonseca. “O que falta para a implementação é boa vontade e bom senso”, relata.