28 de setembro de 2020
Campo Grande 34º 24º

Edil afirma que afastamento de Bernal não influencia os trabalhos da Processante

Tayná Biazus

A CP (Comissão Processante) aprovada na terça-feira na Câmara de Vereadores com 21 votos a favor e oito contra irá investigar possíveis irregularidades na atual administração da prefeitura de Campo Grande. Caso sejam comprovadas as irregularidades, o prefeito Alcides Bernal corre o risco de ser cassado. A mesa da Processante é composta pelos vereadores Edil Albuquerque (PMDB) como presidente, Flávio César (PT do B) como relator e Alceu Bueno (PSL) como membro.

Ontem o MPE/MS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul), pediu o afastamento do atual prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP) levando em conta o relatório da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do Calote na Câmara Municipal que enumera possíveis irregularidades na contratação de empresas terceirizadas pela prefeitura.

O presidente da CP Edil Albuquerque (PMDB), afirma que independente do pedido do MPE referente à CPI do Calote, os trabalhos da Processante irão seguir do mesmo jeito e na mesma linha, não havendo possíveis mudanças devido ao pedido do Ministério. “Mesmo com o afastamento do Bernal da prefeitura, os trabalhos da CP vão continuar na mesma linha, dando o direito de resposta e de defesa ao prefeito”, confirma Edil.

Questionado se o afastamento de Bernal permite que as investigações da CP aconteçam de forma mais clara, o presidente preferiu ficar alheio à resposta.