02 de dezembro de 2021
Campo Grande 30º 22º

Inquérito sobre cassação do Bernal corre em segredo de justiça, segundo Rodrigo Pimentel

A- A+

Rodrigo Pimentel, nomeado pelo atual prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP), como secretário de governo, afirmou para a reportagem do MS Notícias que o inquérito sobre a cassação do ex-prefeito da Capital, Alcides Bernal (PP), corre em segredo de justiça.

Questionado a respeito da acusação de Alcides Bernal de que o “golpe político” foi elaborado em sua residência, Rodrigo é firme na resposta. “Desconheço essa situação”.

Rodrigo afirmou ainda que não houve golpe político. “Na época da cassação eu era sim o advogado particular do prefeito Gilmar Olarte, mas nunca participei de nenhuma reunião, ou até mesmo conversei com os vereadores. Nunca tive contado sobre o assunto com ninguém”.

Informações dos autos extraídos do inquérito civil nº 02/2014 publicadas pelo jornal Centro-Oeste Popular, realizado pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) de Mato Grosso do Sul do mostram fortes indícios de que o atual prefeito de Campo Grande Gilmar Antunes Olarte (PP) pagou a vereadores da Capital para que votassem a favor da cassação do então prefeito Alcides Bernal (PP), que ocorreu no dia 12 de março de 2014.

O ex-prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP) garantiu que tomará providências e acionará o MPE (Ministério Público Estadual) e o MPF (Ministério Público Federal) para que tomem conhecimento da matéria divulgada pelo jornal Centro-Oeste Popular e do site Brasil Notícia, que tiveram acesso às investigações do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) de Mato Grosso do Sul, constatando que o atual prefeito Gilmar Olarte (PP) teria articulado sua cassação na Capital.

Na manhã de hoje, Bernal destacou ainda que os 23 vereadores que votaram pela cassação foram beneficiados com dinheiro e cargos públicos. “Todos os vereadores que votaram receberam algo em troca. A matéria fala em R$ 1 milhão, isso foi pago e temos que ressaltar os cargos que eles conseguiram na prefeitura também. Não tem um vereador que votou pela minha cassação e não conseguiu se promover após o golpe político comprado pelo impostor Gilmar Olarte”.

Diante disso, o ex-prefeito faz questão de afirmar que o “golpe político” foi elaborado na residência de Rodrigo Pimentel. “O golpe foi articulado na casa do Rodrigo Pimentel, que é filho de desembargador e hoje é secretário de governo. Tudo está na cara, basta olhar para ver o que esse grupo criminoso armou na Capital. Esse golpe começou a ser articulado em agosto do ano passado e o próprio cidadão denunciou, mas a polícia não fez nada enquanto eles articulavam”.

Karla Machado e Heloísa Lazarini