25 de janeiro de 2021
Campo Grande 29º 21º

Inquérito sobre cassação do Bernal corre em segredo de justiça, segundo Rodrigo Pimentel

Rodrigo Pimentel, nomeado pelo atual prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP), como secretário de governo, afirmou para a reportagem do MS Notícias que o inquérito sobre a cassação do ex-prefeito da Capital, Alcides Bernal (PP), corre em segredo de justiça.

Questionado a respeito da acusação de Alcides Bernal de que o “golpe político” foi elaborado em sua residência, Rodrigo é firme na resposta. “Desconheço essa situação”.

Rodrigo afirmou ainda que não houve golpe político. “Na época da cassação eu era sim o advogado particular do prefeito Gilmar Olarte, mas nunca participei de nenhuma reunião, ou até mesmo conversei com os vereadores. Nunca tive contado sobre o assunto com ninguém”.

Informações dos autos extraídos do inquérito civil nº 02/2014 publicadas pelo jornal Centro-Oeste Popular, realizado pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) de Mato Grosso do Sul do mostram fortes indícios de que o atual prefeito de Campo Grande Gilmar Antunes Olarte (PP) pagou a vereadores da Capital para que votassem a favor da cassação do então prefeito Alcides Bernal (PP), que ocorreu no dia 12 de março de 2014.

O ex-prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP) garantiu que tomará providências e acionará o MPE (Ministério Público Estadual) e o MPF (Ministério Público Federal) para que tomem conhecimento da matéria divulgada pelo jornal Centro-Oeste Popular e do site Brasil Notícia, que tiveram acesso às investigações do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) de Mato Grosso do Sul, constatando que o atual prefeito Gilmar Olarte (PP) teria articulado sua cassação na Capital.

Na manhã de hoje, Bernal destacou ainda que os 23 vereadores que votaram pela cassação foram beneficiados com dinheiro e cargos públicos. “Todos os vereadores que votaram receberam algo em troca. A matéria fala em R$ 1 milhão, isso foi pago e temos que ressaltar os cargos que eles conseguiram na prefeitura também. Não tem um vereador que votou pela minha cassação e não conseguiu se promover após o golpe político comprado pelo impostor Gilmar Olarte”.

Diante disso, o ex-prefeito faz questão de afirmar que o “golpe político” foi elaborado na residência de Rodrigo Pimentel. “O golpe foi articulado na casa do Rodrigo Pimentel, que é filho de desembargador e hoje é secretário de governo. Tudo está na cara, basta olhar para ver o que esse grupo criminoso armou na Capital. Esse golpe começou a ser articulado em agosto do ano passado e o próprio cidadão denunciou, mas a polícia não fez nada enquanto eles articulavam”.

Karla Machado e Heloísa Lazarini