04 de dezembro de 2020
Campo Grande 33º 24º

Maioria dos manifestantes a favor de Bernal fica do lado de fora

Diana Christie e Heloísa Lazarini

Com a segurança na Câmara Municipal reforçada para garantir que a votação da Comissão Processante que pretende investigar irregularidades na administração de Alcides Bernal (PP) ocorra de forma pacífica, a maioria dos manifestantes que estão presentes para apoiar o prefeito ficaram do lado de fora.

Um efetivo de 31 policiais militares e 11 guardas municipais fizeram rigorosas revistas na porta da casa de leis e permitiram a entrada de apenas 360 pessoas no plenário. Com esse limite, apenas um pequeno grupo dentro da sessão é contra a Processante.

A maioria dos cartazes tem dizeres de “Fora Bernal”, “Processante já!” e, em analogia às declarações do presidente da Câmara, vereador Mário César (PMDB), e parodiando o bordão usado na campanha do ex-presidente Lula (PT), aparece a faixa: “Deixa o homem se explicar”.

Foi instalado um telão do lado de fora da casa de leis para que as pessoas que não puderam entrar possam acompanham a votação. Do lado de fora encontram-se os representantes da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação do Mato Grosso do Sul) e também o presidente da Força Nacional de Luta por Moradias, Abílio Borges, que foi um dos organizadores da manifestação na terça-feira passada.

A comissão processante devia ter sido votada na semana passada, mas teve sua data adiada porque cerca de 700 manifestantes ocuparam o plenário atrapalhando o prosseguimento da sessão. Para que a processante seja instaurada é necessário que no mínimo 20 vereadores votem a favor. Os vereadores da base dizem ter de 12 a 15 votos contra a Processante.