10 de abril de 2021
Campo Grande 35º 20º

Eleições 2016

Marquinhos desmente adversários e se destaca no último debate

O candidato do PSD a prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad, esperava apresentar apenas propostas para Campo Grande no último debate antes da eleição, mas foi obrigado a responder a diversas mentiras inventadas nesta reta final da campanha. Foi a oportunidade de o candidato responder aos ataques, ponderar que todos os programas adversários com calúnias foram suspensos, mas também apresentar seu plano de governo para mudar a realidade da cidade.

 

A primeira resposta aos ataques foi direcionada a Athayde Nery (PPS), que voltou a dizer que ele não cumpria expediente na Assembleia Legislativa, em 1986, quando assumiu cargo na Casa Leis.  Marquinhos lamentou as inverdades e a tentativa desesperada de o candidato de atingir sua imagem.

 

“O candidato Athayde está subestimando o trabalho, primeiro do Ministério Público Estadual, que, através de duas denúncias anônimas, já fez toda investigação sobre isso e optou pelo arquivamento nas duas oportunidades. Por que o senhor não envia uma cópia ao Ministério Público para investigar todos os cargos da Assembleia Legislativa? Estou seguro. Nunca fui fantasma. Sou deputado estadual eleito pelo povo três vezes, com votação em primeiro lugar. Sempre trabalhei, honrei meu serviço. Tenho o ponto marcado, declaração assinada e atestado por dois membros do MPE”, esclareceu.

 

Marquinhos complementou que entrou pela porta da frente e questionou os diversos cargos políticos ocupados por Athayde nos últimos anos no Estado. “Quem sempre escondeu as boquinhas foi o senhor. Funcionário do Zeca do PT, do André Puccinelli, depois ganhou uma boquinha com o Nelsinho. Depois ganhou uma boquinha com o Alcides Bernal, que o senhor critica tanto hoje. Agora, pouco antes da eleição, estava no governo Reinaldo Azambuja. Olha telespectador: acabou a eleição os senhores vão ver a nomeação dele de novo no Governo do Estado. Prestem atenção”, alertou.

 

O candidato do PSD também lamentou a conduta da candidata do PSDB, Rose Modesto, ressaltando que ela e o partido dela, comandado por Reinaldo Azambuja (PSDB), dizem fazer campanha limpa e atacam concorrentes com inverdades. “A senhora diz que faz campanha limpa. Acabamos de ver quantos ataques e olha: a Justiça Eleitoral concedeu liminar para suspender todos os seus programas hoje a noite (29)”, rebateu.

 

Questionamentos

 

Marquinhos questionou as promessas de Rose, perguntando se realmente vai construir cinco mil casas e a corrigiu, dizendo que os dados apresentados por ela estavam equivocados. O candidato ressaltou que, antes de prometer mais casas, Rose deveria cumprir promessas feitas em 2014 e deixadas de lado quando ela e Reinaldo assumiram.

 

“Antes de construir casas, a senhora deveria cumprir sua promessa de 2014 e construir casas da Cidade de Deus. A senhora esteve lá pedindo votos e não honrou, sumiu de lá... Honre promessas de 2014. Prometeu nove hospitais totalmente equipados e até agora nenhum foi construído. A senhora prometeu não aumentar impostos e seu governo aumentou ICMS, ITCD, IPVA e cobrou uma taxa de vistoria veicular durante um ano e seis meses. Ela foi considerada ilegal e vocês não estão devolvendo dinheiro para aqueles que pagaram para seu governo. A população quer saber de que maneira a senhora vai honrar seu compromisso que disse em 2014, porque até agora não fez nada, absolutamente nada. O que vocês falaram não praticaram e o povo sabe disso”, ressaltou.

 

Marquinhos ainda ironizou as críticas de Rose aos governos passados, ponderando que o partido dela sempre ocupou cargos nas gestões. “Quando fala de administração anterior esquece que partido dela fez parte. Eles tinham boquinha lá dentro. Ela sabe disso. O PSDB, com André, tinha. Aliás, eles andam juntos. O PMDB velho é o PSDB hoje, com André Puccinelli, Carlos Marun, Dagoberto Nogueira”, disse.

 

Marquinhos também criticou o discurso de Rose, lamentando que ela fala, mas não convence. “Fala, fala, fala e não diz nada. Muito pelo contrário, promete algo e realiza outro totalmente diferente. Vocês gastaram R$ 100 milhões em publicidade. A senhora acabou de revelar a toda Campo Grande que o Governo do Estado estava em dificuldade, que não pode construir nenhuma casa em Campo Grande e agora vão construir cinco mil? Que o Governo do Estado tentou ajudar a prefeitura atual no recapeamento de algumas ruas e até tapa-buraco e agora gasta R$ 100 milhões em publicidade? Isso não é prioridade”, avaliou.

 

O candidato do PSD também respondeu a tentativa de Alex do PT, de associar ele a problemas de gestões passadas, como o caso Gisa e também lamentou a desinformação do petista. “O candidato Alex é muito mal informado. Eu não era membro da CPI da Saúde instalada. Procure se informar melhor. Não fiz parte da comissão da saúde. Não tenho, não tive e não terei absolutamente nada com GISA. Digo mais: vou modernizar a Saúde e qualquer decisão que a Justiça tomar vamos cumprir. O caso foi judicializado e se você quiser conversar com o Nelsinho vai conversar com ele. Eu sou o Marquinhos. Vou modernizar a saúde”, afirmou.

 

Marquinhos recordou que anda tranquilamente na rua, visto que a população o conhece e lembrou do envolvimento de lideranças petistas em escândalos nacionais. “Não quero discutir isso candidato Alex. Até porque logo depois de domingo o senhor vai ter que visitar seus amigos: Palocci, José Dirceu e daqui a pouco Lula e Dilma, que o senhor sabe onde vai visitar.  Vamos fazer a tecnologia. Fomos à Brasília. Temos o software digitalizado. Vamos trazer a você a conectividade dentro da Saúde. Quem tem dor não vai esperar a caravana passar. A população vai ter saúde por quatro anos comigo.  

 

Propostas

 

A tarifa de água também foi levada ao debate por Marquinhos, que defende um serviço sanitário adequado. “Vamos rever esta taxa de esgoto. Não é justo cobrar 70% do valor da tarifa de água pelo esgoto. Outra coisa que tem que ser revisto é este consumo mínimo de 10m³ com pessoas consumindo três, quatro, cinco e pagando 10m³. Outra coisa é a depredação do asfalto que a Águas faz e não remenda de maneira adequada”, lamentou.

 

O candidato da coligação "Sempre com a Gente" também falou sobre trânsito, explanando propostas para Campo Grande, que inclui revisão da hierarquização das vias públicas e sinalização decente. Sobre Transporte Público, Marquinhos criticou a falta de transparência e irresponsabilidade das concessionárias que exploram o setor.

 

“Vou rever este contrato, independentemente por quem foi feito ou assinado. Não é possível que nos pagamos uma tarifa das mais caras do País e não temos serviço de qualidade. Ônibus caindo aos pedaços. Os pontos de ônibus não têm a mínima condição do cidadão ali permanecer. Terminais uma vergonha e esta questão vai acabar na nossa administração. Nós vamos fazer um trabalho efetivo e, sobretudo, firme, seguro, para que você, campo-grandense,  não fique com constrangimento de pegar um ônibus dentro da nossa cidade. Na nossa gestão tudo vai funcionar e pode ter certeza e confiança que vamos administrar com competência e com rigor”, assegurou.

 

Marquinhos também falou sobre gestão e garantiu que terá uma equipe técnica e qualificada para administrar Campo Grande. “Funcionário e secretário vão ter que ter vocação na veia. Serão quadros técnicos. Pessoas que têm compromisso com Campo Grande e competência. Ninguém é dono da cidade. Vamos modificar esse cenário com dedicação e competência. Eu falo e pratico. Prova disso foram as quatro eleições que nós fomos devolvidos ao mandato público em primeiro lugar. Ninguém engana quatro vezes. A população me conhece. Eu combati a Enersul, a taxa de vistoria. Votei contra o ICMS e agora vou estar ao seu lado, campo-grandense e vou fazer um grande trabalho”, afirmou.

 

O candidato do PSD encerrou o debate agradecendo a Deus, família e amigos por esta caminhada, avaliada como difícil, mas afirmou estar preparado para levantar Campo Grande novamente. “Eu vou ser prefeito para terminar os Ceinfs. Eu vou ser prefeito para devolver uma Saúde digna para a população. Através da Clínica da Família, da valorização dos servidores públicos, com a criação do Plano de Cargos e Carreira. Eu vou ser o prefeito que vai reorganizar o sistema das praças e dos parques. Vamos dar uma mobilidade urbana da maneira que a cidade precisa. Eu sou correto, descente e você sabe disso. Eu tenho minha própria história. Peço a vocês o meu voto de confiança, vote 55”, finalizou.