28 de novembro de 2020
Campo Grande 36º 23º

Para Kemp, governador deixa aumento salarial dos professores para próxima gestão

O deputado estadual Pedro Kemp (PT) criticou o governador André Puccinelli (PMDB) por ter declarado que só será possível adequar o salário dos professores ao piso nacional para 20 horas daqui a oito anos.

Ele se baseou no discurso do presidente da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), Roberto Botareli, que esteve ontem na Assembleia Legislativa, acompanhado de uma multidão de professores, e usou a tribuna livre para discorrer sobre a necessidade da valorização do profissional da educação.

“Se tudo aquilo que o Roberto (Botareli) falou for verdade, a proposta é absurda. Nenhum governador pode jogar uma responsabilidade para uma gestão futura. Essa questão está virando uma prática do atual governador”, declarou Kemp.

Segundo o parlamentar, Puccinelli usou a mesma estratégia para negociar o plano de cargos e carreira dos servidores da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul). Kemp explica que a atual gestão vai dar um reajuste de 4% enquanto os 12% restantes vão ser reajustados só em 2015, pelo próximo governador. “A Fetems tem razão de protestar e buscar melhores condições de trabalho”, argumentou.

Kemp garante que o PT tem intermediado as negociações entre a classe e o governo do Estado e pretende contestar a proposta de reajuste caso ela venha para a Assembleia Legislativa da forma descrita por Botareli.

Diana Christie e Clayton Neves