21 de outubro de 2020
Campo Grande 29º 21º

Governador irá apresentar opções de compra de terras no Estado à União

O governador do Estado, André Puccinelli (PMDB), afirmou nesta manhã que o próximo passo para a solução dos conflitos entre índios e produtores rurais é definir de onde sairão os recursos que serão usados para comprar as terras. “Eles estão definindo de onde vem a grana”, disse.

Segundo ele, em reunião com representantes da Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de MS), Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul), Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural), Cimi (Conselho Indigenista Missionário), deputados estaduais e lideranças indígenas, foram apresentadas algumas sugestões. “Todos assinamos a sugestão para uma solução definitiva dos conflitos. Vamos entregá-la para o Marcelo Veiga, representante do Ministério da Justiça. Só precisa o governo federal escolher qual caminho seguir”, declarou.

Uma das propostas é que o Estado use o dinheiro das parcelas mensais da dívida ativa com a União para a compra de terras. Na segunda opção, a União passa recursos federais para o Fepat (Fundo para Aquisição de Terras Indígenas), criado pelo deputado estadual Laerte Tetila (PT), e o governo estadual administra a indenização aos fazendeiros.

De acordo com a Famasul, há 80 áreas ocupadas por índios em Mato Grosso do Sul. Os produtores rurais deram prazo até dia 30 de novembro para o governo federal apresentar uma solução, sendo que a área prioritária é a fazenda Buriti em Sidrolândia – distante 70 km de Campo Grande.

Diana Christie