07 de agosto de 2020
São Paulo 39º 24º

Para vereador, prefeito tem problemas psicológicos

O MPE (Ministério Público Estadual) promoveu uma segunda ação onde é pedido por meio de liminar o afastamento do atual prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP) e também pede o afastamento do secretário de planejamento, finanças e controle Wanderley Ben Hur da Silva. Esse tipo de ação representa para o vereador Chiquinho Telles (PSD) a falta de visão e a má gestão de Bernal para a Capital.

O prefeito e o secretário teriam sido os responsáveis por danos no valor de mais de R$ 110 milhões aos cofres públicos da Capital.

O vereador acredita que o pedido do afastamento é mais uma prova que o legislativo está no caminho certo ao investigar Bernal. Para o parlamentar dessa maneira é possível enxergar que existem irregularidades na prefeitura.

“O Bernal está fugindo de depor na Comissão Processante porque ele não tem argumentos suficientes para provar que não houve irregularidades. O prefeito não está apenas com problemas de visão, mas também com problemas psicológicos”. Chiquinho completa dizendo que aquele que não quer mostrar para a sociedade o que acontece em sua gestão é porque possui esses problemas psicológicos.

A falta de visão na educação, na classe médica, na classe da segurança pública faz com que todos os integrantes sintam-se insatisfeitos com a atuação de Bernal. “Ele não cumpriu o que disse na sua campanha. Vejo isso como falta de conhecimento e despreparo. Ele não sabia o tamanho dessa máquina e agora não tem como colocar esse boing para decolar”, finaliza.

Ontem o advogado de Bernal entregou à Comissão Processante um atestado médico onde o prefeito deveria ficar afastado de suas atividades por três dias, o impossibilitando de participar da oitiva que seria realizada na manhã de hoje.

A Comissão Processante investiga possíveis irregularidades na administração de Alcides Bernal.

Tayná Biazus e Alan Diógenes