20 de outubro de 2020
Campo Grande 30º 21º

Paulo Corrêa cogita criação de programa para contratar médicos de Pedro Juan Caballero

Fazendo uso da palavra na manhã de hoje na ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul), o deputado estadual Paulo Corrêa (PR) ressaltou o momento precário por qual passa a área da saúde no Estado. Revoltado com o alto salário oferecido aos médicos para exercer a profissão no interior, o deputado cogitou a possibilidade de criar um programa baseado no programa do governo federal, Mais Médicos, com intuito de contratar médicos formados em Pedro Juan Caballero.

“Não podemos aceitar esse tipo de coisa, claro que um profissional que trabalha em prol da vida merece ganhar bem, mas também temos que colocar na balança sobre a questão da saúde no Estado. Estamos passando por muitas dificuldades, acredito que o certo seria criar um programa chamado Médicos da Fronteira para contratar profissionais e suprir essa falta de médicos que temos no Brasil”, afirma Paulo Corrêa.

O deputado destaca ainda, que existem municípios de Mato Grosso do Sul que fecharam hospitais por falta de condições de trabalho. “Temos muitos municípios fechando os hospitais porque faltam aparelhos, falta médico, falta tudo. Em Nioaque o hospital fechou as portas e como fica a população? Se gastamos R$ 120 mil para contratar dois médicos no interior, podemos contratar aproximadamente 24 profissionais recém-formados em Pedro Juan Caballero”.

Os petistas aproveitaram o momento para parabenizar Paulo Corrêa pela atitude de usar a tribuna para destacar as falhas na saúde pública, ressaltando que o programa Mais Médicos foi bem aceito pelo público e elogiando a possível criação de um programa para contratar médicos formados no Paraguai. “Vivemos situações complicadas porque os médicos tem o interesse de ir pra o interior pelo salário, que muitas vezes chegam a R$ 30 mil. O médico ganha mais do que o próprio prefeito da cidade, mais que os deputados, claro que eu concordo que os médicos devem ser bem pagos, mas temos que ter bom senso, estamos vivendo um momento de calamidade na saúde. Recebemos críticas no programa Mais Médicos, mas foi um programa muito bem aceito pela população”.

Dany Nascimento