13 de agosto de 2022
Campo Grande 30º 15º

Suspeito de atrapalhar Lava Jato, senador Delcídio é preso pela Polícia Federal

A- A+

O líder do governo no Senado, senador sul-mato-grossense, Delcídio do Amaral (PT), foi preso na manhã desta quarta-feira (25) pela Polícia Federal em Brasília. Delcídio foi preso no hotel Golden Tulip, onde mora em Brasília. Esta é a primeira vez que senador em exercício de mandato é preso. A PF também faz buscars no Rio de Janeiro e em São Paulo. O pedido de prisão foi efetuado pelo MPF (Ministério Público Federal) e autorizado pelo STF (Supremo Tribunal Federal). 

De acordo com PF, o senador foi preso por estar atrapalhando investigações da Operação Lava Jato. Segundo a assessoria de Delcídio, o senador foi conduzido de forma coercitiva para prestar depoimento. 

Informações preliminares apontam que o petista teria tentado impedir a delação premiada de Nestor Cerveró, ex-diretor da área Internacional da Petrobras, sobre uma suposta participação de Delcídio em irregularidades na compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos.

De acordo com informação do jornal Folha de São Paulo, Delcídio teria dado condições para que Nestor Cerveró pudesse fugir do país em troca de não delatar esquema da Lava Jato. Conforme o jornal, a conversa teria sido gravado pelo filho de Cerveró.

Conforme a PF foram feitas buscas e apreensões no gabinete de Delcídio, no Congresso e viaturas da Polícia Federal também estiveram na casa do senador em Campo Grande. As buscas foram autorizadas pelo STF. O chefe de gabinete de Delcídio e um advogado ligado ao senador também foram presos. A assessoria do senador disse ainda, que vai se inteirar da prisão do petista para divulgar nota à imprensa.

Na manhã desta quarta-feira, a  Polícia Federal realizou busca e apreensão no escritório do senador Delcídio do Amaral, na Rua Antônio Maria Coelho, no Jardim dos Estados. Os policiais chegaram às 6 horas e como não havia ninguém no imóvel chamaram um chaveiro para abrir a porta. O advogado do senador, Jail Azambuja disse que foi pego de surpresa e que a PF não autorizou a sua entrada para na residência de Delcídio para  acompanhar a varredura na casa do senador.