09 de agosto de 2020
Campo Grande 31º 16º

Projeto que reduz tarifa de ônibus será votado hoje

Heloísa Lazarini

Os vereadores de Campo grande votarão hoje o projeto enviado pelo executivo municipal para reduzir a tarifa do transporte coletivo para R$ 2,70. Embora alguns vereadores ainda critiquem a redução dizendo que poderia ser maior, o fato é que pelas correções das alíquotas monetárias vigentes sobre a tarifa, caso a administração do prefeito Alcides Bernal (PP) as mantivesse o valor cobrado pela tarifa do transporte público a partir de novembro seria de R$ 3,15.

De acordo com o contrato firmado com o Consórcio Guaicurus em outubro de 2012, a tarifa deveria ter sido reajustada em janeiro para R$ 3,00. Mesmo com as isenções federais de PIS/COFINS, o valor da tarifa ainda seria de R$ 2,90. E a partir de novembro com o reajuste, o valor seria de R$ 3,15. De acordo com o prefeito a prefeitura conseguiu na prática uma redução de R$ 0,20. "A redução real da tarifa é de R$ 0,20, o que representa uma diferença de arrecadação de R$ 600 mil ao mês", explica o prefeito.

Segundo Bernal, a isenção vem ao encontro do retube, que é a desoneração do transporte coletivo urbano. "Com isso pretendemos incentivar a população a utilizar ainda mais o transporte coletivo", afirma. Bernal destaca que, embora a redução do valor da tarifa seja um incentivo, a qualidade do serviço prestado precisa melhorar. "O Consórcio Guaicurus fez diversos compromissos ao firmar o contrato de prestação de serviço de 25 anos e nós estamos fiscalizando e cuidando dessa situação para garantir um bom serviço para população".

Conforme os termos do contrato, efetuado em outubro de 2012, o Consórcio Guaicurus deveria investir R$ 350 milhões ao longo de 20 anos para custear programas de tecnologia de embarque e desembarque, construir uma central de monitoramento com câmeras de vídeo nos ônibus, equipadas com GPS e desenvolver estruturas adequadas para atender pessoas com necessidade especiais.

O prefeito destaca que até o momento, um percentual muito pequeno desse pacote de investimentos foi cumprido. Segundo Bernal algumas coisas não foram devidamente aplicadas. "Durante a nossa fiscalização constatamos que a frota que deveria ser toda nova ainda não é, existem ônibus antigos circulando pela cidade, a reforma dos terminais não foi feitas, algumas reformas pequenas que existem foram nós que fizemos, mas isso tudo estamos conversando com o Consórcio para resolver", declarou Bernal.

Mais Investimentos:

Bernal destacou que o objetivo da prefeitura para os próximos anos é reduzir ainda mais a tarifa por meio de investimentos na mobilidade urbana. "Nosso objetivo é criar mecanismos para buscar a manutenção e a melhoria da mobilidade urbana o que vai reduzir os gastos das empresas de ônibus e garantir uma redução ainda maior da tarifa. Queremos a tarifa em preços módicos, esse é o esforço que estamos fazendo", declarou. Bernal destaca que a prefeitura conseguiu este ano em primeiro lugar congelar o valor da passagem e afirma que hoje a prefeitura e a população estão ganhando o valor que deveria ter sido aumentado.

Outro ponto referente ao valor das tarifas é o preço da passagem para o distrito de Anahnduí, que até julho era de R$ 10,00e hoje é de R$ 2,75. Outra medida dotada pela prefeitura me maio deste ano foi a gratuidade para os alunos dos cursos técnicos, que antes não tinham direito ao passe de estudante.