14 de agosto de 2020
Campo Grande 35º 22º

Puccinelli admite flerte com PT, mas afirma que “amasso” não acontecerá

O governador André Puccinelli (PMDB) declarou que o PT tem procurado fazer alianças com o partido, mas que esta possibilidade é remota. “O PT não acha mais o PMDB tão defeituoso. Ele vem com paixão, quase com volúpia, atirando em cima. Nós estamos flertando com ele, mas não demos o amasso. E bem provável que não dê o amasso porque temos candidatos próprios”, afirmou. Isso acontece porque o PT vai lançar o senador Delcídio do Amaral para a vaga de governador enquanto o PMDB definiu o secretário estadual extraordinário de articulação, de desenvolvimento regional e dos municípios, Nelsinho Trad como seu pré-candidato a esta vaga. Além disso, o PMDB vai investir numa chapa pura, com a vice-governadora Simone Tebet para o Senado. Durante seu discurso na Assembleia Legislativa, na solenidade de liberação das emendas parlamentares, Puccinelli ainda admitiu que tem conversado também com o PSDB, adversário nacional dos petistas. “Pisquei para o gato e para o peixe”, brincou. Ainda assim, declarou fidelidade à presidente Dilma Rousseff (PT). “Mesmo que estejamos em campos opostos ao Governo Federal, por questão de gratidão à presidente da república, eu estarei com ela”, disse. Segundo Puccinelli, a presidente foi fundamental para trazer os recursos do MS Forte 2, pacote de obras que totaliza R$ 3,6 bilhões em investimentos para o Estado. "A ingratidão é o pior defeito", finalizou. Diana Christie