27 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 23º

DECOTELLI

Reitor desmente Bolsonaro sobre doutorado do novo ministro da Educação

Decotelli estudou na instituição, completou a carga horária, mas não finalizou o curso para obter a titulação

O Franco Bartolacci, reitor da Universidade Nacional de Rosario (Argentina), usou as redes sociais para desmentir a fala do Presidente da República, Jair Bolsonaro, sobre a formação do atual ministro de estado da Educação, Carlos Alberto Decotelli da Silva, que tomou a posse na última 5ª-feira (25.junho), em Brasília.

“Nos vemos na necessidade de esclarecer que Carlos Alberto Decotelli da Silva não obteve, na Universidade Nacional de Rosario, o título de doutor que se menciona nesta comunicação”, escreveu o reitor em seu perfil oficial pelo Twitter.

Em entrevista ao GLOBO, o reitor Franco Bartolacci explicou que Decotelli estudou na instituição, completou a carga horária, mas não finalizou o curso para obter a titulação.

— Ele cursou o doutorado, mas não finalizou. Falta a aprovação da tese, que é requisito indispensável para a conclusão — disse Bartolacci.

O GLOBO entrou em contato com o MEC, que afirmou que o ministro concluiu em fevereiro de 2009  todos os créditos do doutorado em Administração pela Faculdade de Ciências Econômicas e Estatística da Universidade Nacional de Rosário, na Argentina.  O órgão encaminhou à reportagem o certificado de conclusão dos créditos por parte do ministro, no entanto, não respondeu se além de cumprir a carga horária das disciplinas, Decotelli defendeu sua tese na universidade, critério para obter a titulação.

De acordo com o reitor da Universidade Nacional de Rosário, o certificado mostra apenas a conclusão do curso, mas não a obtenção do título de doutor, para o qual é necessário defender a tese.

No currículo Lattes do ministro, Decotelli informa que Antônio Freitas, que é professor da FGV e presidente da Câmara de Ensino Superior do Conselho Nacional de Educação (CNE)  foi seu orientador no doutorado na Universidade Nacional de Rosário. Freitas, no entanto, nunca pertenceu aos quadros dessa universidade, tampouco há registros de sua participação em bancas de doutorado presenciais ou virtuais. O professor poderia atuar como docente visitante, mas não há registros de que tenha sido contactado pela instituição. O GLOBO entrou em contato com Antônio Freitas mas ele preferiu não comentar o caso.

Fonte: O Globo.