03 de agosto de 2021
Campo Grande 30º 14º

Chico Maia critica uso do Fundersul para manutenção de vias urbanas

A- A+

O PL (Projeto de Lei) nº 57/14, do Poder Executivo, que modifica a legislação que trata sobre o Fundersul (Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário do Estado de Mato Grosso do Sul), e prevê que 50% do valor arrecadado com diesel seja destinado aos municípios do interior para investir em vias públicas, gerou descontentamento dos produtores rurais do Estado. Para o presidente da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul), Francisco Maia, o projeto deveria ter sido excluído e não aprovado.

“É um absurdo isso, o Fundersul é para arrumar as estradas do nosso Estado e não para ser investido no interior, não tem sentido aprovar isso. Não entendo como os deputados do nosso Estado aprovam um projeto como este, é mais um imposto contra a sociedade, já que temos o IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), já que a população paga imposto sobre tudo, não tem necessidade de aprovar um projeto como este, o certo seria excluir esse projeto e não aprová-lo”, afirma Chico Maia.

O presidente destaca que o projeto prevê desvio da finalidade do fundo, já que foi elaborado para arrecadar verba para estradas e afirma que o Estado não precisa do imposto. “Isso é desvio de finalidade, se o Estado é tão forte como vem sendo falado, então não tem necessidade de cobrar imposto em cima do diesel, é um absurdo isso. Só existe o Fundersul em Mato Grosso do Sul, agora usam o nosso dinheiro para jogar na malha urbana”, ressalta Maia.

O presidente da Acrissul garante que não existe conversa no Estado e o que vale é apenas a vontade do governador André Puccinelli (PMDB). “O que manda aqui no Estado é apenas a vontade de um rei só, não tem conversa, quando o chefe fala, a água para. A verdade é que esses deputados não têm compromisso com a classe produtora”, finaliza o deputado.

Dany Nascimento