29 de outubro de 2020
Campo Grande 24º 19º

"MULHER MAIS POLÍTICA"

"Se somos a maior parte. Por que estamos no rodapé?", questiona senadora sobre mulheres na política

Senadora abriu evento pedindo equiparação a participação das mulheres na política que é metade em comparação com cenário mundial

A senadora Simone Tebet (MDB-MS), presidente da Comissão de Constituição e Justiça, participou do evento “Mulher Mais Política”, realizado pelo MDB Mulher de Pernambuco, na manhã desta sexta-feira (22), ela encorajou as mulheres a participarem da política e as estimulou votos em mulheres. Também falou sobre o preconceito, machismo e questionou: “Se somos a maior parte da população. Porque estamos no rodapé? ”, perguntou a senadora.   

Tebet falou de sua trajetória na vida pública e comentou das dificuldades enfrentadas por elas. “Mulher tem que empurrar a porta, porque se bater, a porta não será aberta. Não pode ter medo de enfrentar”, disse a senadora ao conclamar a maior participação feminina na política partidária.

Ela disse que é preciso combater o preconceito. “Precisamos nos despir do medo e dos preconceitos de que nós não damos conta, não entendemos de econômica e só poderíamos cuidar da causa social. Servimos para a Secretaria de Assistência Social, sim, mas também para a de Saúde, de Educação e de Fazenda, se estivermos preparadas para isso. Cabe a nós mudar. Peço que vocês sejam multiplicadoras dessa ideia. Estimulem as mulheres a se enxergarem iguais aos homens”, disse.

MOBILIZAÇÃO

A senadora ainda sugeriu uma ampla mobilização em prol do voto em mulheres. “Precisamos fazer política partidária e estimular mulheres a votar em mulheres. Se somos a maior parte da população. Por que estamos no rodapé da participação feminina na política em relação a outros países? A média do mundo é 30% e a do Brasil é 15%! ”, lamentou.

“Precisamos dobrar o número de mulheres no Legislativo. É lá que as leis são feitas”, disse ao relembrar do processo que garantiu a cota de 30% para mulheres nas candidaturas e também, mais recentemente, da garantia para candidaturas femininas de 30% do tempo de propaganda eleitoral no rádio e na TV e na destinação das verbas do fundo eleitoral e do fundo partidário.

Para Simone, esta garantia foi essencial para aumentar o número de deputadas federais, que passou a 77 em 2019. Mas ainda há um longo caminho a percorrer.

Simone Tebet ainda reforçou a necessidade de mais mulheres na política ao citar uma série de leis que entraram em vigor graças à atuação da bancada feminina. Ela disse que os homens se aliam à pauta relacionada ao combate à violência contra a mulher, por exemplo.

Mas quando a pauta é sobre a ampliação dos espaços públicos para mulheres, a dificuldade aumenta. “A lei é feita por homens. Precisamos de mais mulheres no Legislativo para ter mais mulheres no Executivo”, defendeu lembrando que o Brasil hoje só tem uma governadora de Estado (Rio Grande do Norte).