15 de agosto de 2020
Campo Grande 35º 22º

Shimabukuro adere à base desde que Bernal conceda ao seu partido presidência da Agetran

Começou a negociação partidária e ao que tudo indica o prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), dá início a uma nova era na sua gestão, de vitórias, mesmo que com amargas consequências. A adesão do vereador Edson Shimabukuro (PTB)a base do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), depende, exclusivamente, segundo o próprio vereador, de sua nomeação ao cargo de diretor presidente da Agetran (Agência Municipal de Transporte).  Com isso, Bernal está em uma saia justa, pois terá que exonerar a atual presidente Kátia Castilho ou, pior, rebaixá-la de cargo. "Eu não sei ainda se o prefeito já conversou com a Kátia ou não, mas para me ter na base ele terá que me dar a Agetran", afirma Edson. Segundo vereador, Bernal se comprometeu a dar uma resposta a ele ainda hoje. "Quero colocar alguém que não seja apenas dom trânsito e sim olhe com mais cuidado para as áreas com mais acidentes na cidade e melhore o transporte coletivo. Campo Grande possui uma estrutura muito pequena de transporte coletivo para sua população", argumenta. O escambo de Bernal tem demonstrado sinais de falha. Recentemente, o prefeito tentou trocar o apoio do PSDB em troca da secretaria de educação, mas o partido se ofendeu com a atitude de Bernal e acabou expulsando José Chadid, atual secretário ex-tucano. Depois de levar um não da vereadora Rose (PSDB) e do vereador Eduardo Romero (PT do B), Bernal agora aposta suas fichas em Shimabukuro, que aprece estar prestes a ceder ao jogo político do prefeito. Heloísa Lazarini e Diana Christie