26 de outubro de 2020
Campo Grande 27º 22º

DELICADO

STF volta julgar caso Coaf, que parou investigação de Flávio Bolsonaro

Dias Toffoli tinha suspendido todas as apurações em curso no país que usavam informações do antigo Coaf, incluindo a investigação contra o filho de Jair Bolsonaro

 O plenário do STF começou a julgar nesta quarta-feira (20) ação sobre o uso de dados sigilosos em investigações sem autorização judicial.

Em julho, o presidente da corte, Dias Toffoli, suspendeu todas as apurações em curso no país que usavam informações do antigo Coaf (hoje UIF, Unidade de Inteligência Financeira) e demais órgãos de controle financeiro e fiscal.

A ordem de Toffoli foi dada a pedido da defesa do senador Flávio Bolsonaro (RJ), alvo de um inquérito aberto pelo Ministério Público para apurar a suspeita de desvio de salários pagos a servidores de seu gabinete quando era deputado estadual no Rio. Essa investigação foi instaurada com base em informações do extinto Coaf.

Segundo levantamento da Procuradoria-Geral da República, ao menos 935 investigações e ações penais foram paralisadas em todo o país por causa da suspensão de Toffoli.