19 de outubro de 2020
Campo Grande 34º 23º

Vice-prefeito se nega a tomar partido sobre comissão processante

Diana Christie

O vice-prefeito de Campo Grande Gilmar Olarte (PP) negou-se a avaliar o impacto da abertura da comissão processante que investigará possíveis irregularidades na administração do prefeito Alcides Bernal (PP) para a Capital. “Aguardarei os poderes tomarem uma decisão. Por uma questão de ética não vou me pronunciar”, afirmou.

Caso o MPE (Ministério Público Estadual) decida pelo afastamento temporário do prefeito enquanto são feitas as investigações, Olarte assume o executivo. A comissão processante foi instaurada na manhã de hoje com 21 votos favoráveis e oito contra, sendo um voto a mais do que o mínimo necessário.

A principal surpresa foi que os vereadores Chocolate (PP) e Edson Shimabukuro (PBT), ambos da base do prefeito, votaram a favor da processante. Os parlamentares que votaram contra o pedido foram Zeca do PT, Alex do PT, Airton Araujo (PT), Cazuza (PP), João Rocha (PSDB), Luisa Ribeiro (PPS), Carlão (PSB) e Gilmar da Cruz (PRB).

A comissão será formada pelos vereadores Edil Albuquerque (PMDB) como presidente, Flávio César (PT do B) como relator e Alceu Bueno (PSL) como membro. João Rocha (PSDB), Chocolate (PP) e Cazuza (PP) foram sorteados para compor a comissão antes de Alceu, mas recusaram a responsabilidade.