15 de maio de 2021
Campo Grande 28º 19º

Teresópolis aponta favor à CBF e reclama de descaso do governo

A- A+

Teresópolis foi a primeira cidade do país a saber que abrigaria uma seleção durante a Copa do Mundo de 2014, e soube logo que receberia a seleção brasileira. Ainda no final de 2012, a CBF anunciou que o time de Luiz Felipe Scolari usaria o centro de treinamento da confederação localizado no município para se preparar para o Mundial do ano que vem.

O anúncio mexeu com a expectativa dos cerca de 167 mil habitantes da cidade da Região Serrana do Rio de Janeiro, a qual vive basicamente do turismo. Ciente de que o retorno da seleção brasileira à Granja Comary atrairia milhares de visitantes e jornalistas, a população de Teresópolis enxergou na Copa uma oportunidades para melhorias necessárias. Em 2011, chuvas deixaram quase 2 mil famílias sem casa por lá.

Um ano já se passou, entretanto, e pouco foi feito até agora. Oito meses antes do Mundial de 2014, moradores da cidade-sede da seleção reclamam da falta de investimentos governamentais no município e temem que o único legado para a população deixado pela Copa do Mundo seja um "agrado" pago com dinheiro público à própria CBF.

Esse "agrado" é o asfalto colocado nas vias que levam à Granja Comary ainda no primeiro semestre deste ano. Por meio de um programa do governo do Estado, o Asfalto na Porta, ruas de paralelepípedo por onde devem circular jogadores e comissão técnica da seleção brasileira ao deixarem o CT ganharam novo calçamento e sinalização.

Detalhe: o asfalto foi colocado estritamente no caminho para a Granja Comary. Outras ruas do mesmo bairro, mas que não levam ao CT da CBF não receberam obras. Além disso, as melhorias começaram dias depois de o presidente da CBF, José Maria Marin, receber o prefeito de Teresópolis, Arlei Rosa, na sede da confederação.

"Até agora, esse é o único investimento público para a Copa que vimos na cidade", queixou-se Marco Fonseca, 48 anos, morador de Teresópolis. "E olha que esse asfalto nem era tão necessário. O paralelepípedo era uma das características das ruas da região do CT da CBF. Há outras coisas na cidade que precisam de investimento muito mais urgente."

Fórum popular

Fonseca é membro do Fórum Popular de Teresópolis. O grupo foi criado em junho e, desde então, reúne-se semanalmente em uma praça no centro da cidade. Nessas reuniões, a Copa é tema frequente. "A gente vê todas as cidades se preparando para a Copa do Mundo. Nós vamos receber a única seleção pentacampeã, a seleção que joga em casa, e nossa cidade não tem nada preparado", complementou ele.

Vilma Medeira, de 60 anos, também integra o fórum. Na semana passada, ela guiou a reportagem do UOL Esporte por um passeio aos principais pontos turísticos de Teresópolis, cidade na qual ela nasceu e decidiu morar.

Para Vilma, o descaso com os "atrativos" é prova da pouca importância que a prefeitura e o governo do Estado dão para o Mundial de 2014. "Esse mirante é um dos principais pontos turísticos da cidade. Tem uma vista para Teresópolis inteira. Mesmo assim, está todo pichado e mal cuidado", disse ela, ao chegar à Torre do Mirante. "A Fonte Judite, uma das mais famosas, é outro exemplo do abandono. Está com a água contaminada. Ninguém pode beber a água dali."

Laura Torres, de 53 anos, estendeu às queixas ao sistema de transporte da cidade, à falta de saneamento básico e até aos problemas na internet. Lembrou ainda que, quando os jogadores do Brasil chegarem, os desabrigados pelos temporais de janeiro de 2011 estarão vivendo de auxílio-aluguel já que suas casas não estarão prontas. "A cidade espera há três anos", disse.

Procurada, a Prefeitura de Teresópolis não se pronunciou sobre os investimentos para a Copa do Mundo na cidade. Informou que as casas para os desabrigados estão em construção desde agosto. A previsão que 740 moradias sejam entregues em agosto de 2014, já após a Copa. O restante ficará para o fim do ano do Mundial.

Sobre o asfalto nas vias de acesso à Granja Comary, a prefeitura informou que ruas nas proximidades do centro de treinamento foram as únicas de Teresópolis asfaltadas neste ano. Ao todo, foram 7 quilômetros. Em 2012, outros 14 quilômetros foram asfaltados. Tudo foi feito inteiramente com recursos estaduais.

A Secretaria de Obras do Estado do Rio de Janeiro é a responsável pela construção das casas para os desabrigados de Teresópolis e pelo programa Asfalto na Porta. Procurada pela reportagem, não se pronunciou.

Nem a prefeitura nem o Estado informaram se o asfalto no acesso à Granja Comary foi feito a pedido da CBF. A entidade também não comentou o assunto.

A reforma do centro de treinamento da CBF em Teresópolis segue em ritmo intenso. As obras para construção de novos quartos para atletas e comissão técnica estão adiantadas. Mesmo assim, operários trabalham até debaixo de chuva (foto) para deixar tudo pronto no início de 2014. A reforma do espaço também já chegou aos gramados. O campo de treinamento principal foi todo retirado e o terreno do local está sendo preparado para o replantio. Luiz Felipe Scolari já declarou que usará a Granja para a preparação da seleção para a Copa.

(agência UOL)