03 de maro de 2021
São Paulo 39º 24º

Sonhos destruidos

Cerimônia de cremação de irmãs pode acontecer dia 31 de janeiro e avó ainda não viu as netas

Maria Aparecida Amarilha Scardin, mãe das irmãs mortas na cidade de Honda no Japão, está no país desde o dia 10 de janeiro, porém ainda não conseguiu visitar as netas que estão em um abrigo do governo.

A mãe de Michele e Akemy,foi para o Japão na intenção de trazer além das netas que estão em um abrigo, as cinzas dos corpos das filhas, que deverão ser cremados após uma cerimônia no dia 31 de janeiro. Sobre a visitar as netas, Maria disse que não conseguiu vê-las ainda por ser muita burocracia.

Maria tem permissão para ficar no Japão por três meses, mas disse que se a justiça achar necessário a presença dela no julgamento ela permanecerá por mais um tempo, o consulado brasileiro está dando apoio para mãe das jovens. 

O caso

Akemi Maruyama de 27 anos e Michelle Maruyama de 29 anos foram encontradas mortas no apartamento onde moravam, na cidade japonesa Handa, no dia 31 de dezembro de 2015. De acordo com Maria Aparecida Amarilha Scardin, mãe das mulheres assassinadas para que as crianças retornem ao Brasil é necessário a liberação de um documento para conseguir o visto para ao Japão.

O marido de Akemi, de nacionalidade peruana, é investigado como suspeito do crime e  foi detido no dia do incêndio, quando dirigia um veículo acompanhado das duas filhas do casal de 3 e 5 anos de idade. As crianças estão sob a proteção da polícia e devem ser trazidas para ficar sob a guarda da avó.