24 de julho de 2021
Campo Grande 33º 17º

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

Por que DJ Ivis, que socou a ex-mulher, não foi preso? O que se sabe sobre as agressões

Cantor deu chutes e socos; a Polícia Civil não informou como estão as investigações

A- A+

Quase 24h após a divulgação de vídeos que comprovam que DJ Ivis agrediu brutalmente a ex-mulher, Pamella Holanda, que o denunciou nas redes sociais, internautas questionam o porque de o cantor estar ainda em liberdade.  

O nome real do agressor é Iverson de Souza Araújo, de 29 anos, que ficou conhecido pelo hit "'Volta Bebê, Volta Neném' e também pelo sucesso "Esquema Preferido". 

Nas imagens do vídeo das agressões, não é possível identificar os dias em que as agressões aconteceram, mas a vítima, Pamella Holanda, compartilhou as imagens em rede social neste domingo (11.jul).

O MS Notícias publicou ontem vídeo com uma sequência de históries em que o cantor tenta justificar seus atos. 

Durante as imagens protagonizadas por Ivis outra pessoa que presencia as agressões é um homem chamado Charles, que, de acordo com Ivis, foi trazido da Paraíba para Fortaleza para ajudar o artista. Ainda não há confirmação se Charles é apenas amigo ou funcionário de DJ Ivis.

Ontem mostramos que as agressões ocorreram numa casa em Fortaleza, mas ainda não havia uma data certa de quando ocorreram as agressões. De acordo com o G1, Ivis bateu em Pamella em dois períodos distintos. A mais recente ocorreu no dia 1º de julho, a qual deu subsídios para a apresentação de boletim de ocorrência da mulher contra o DJ em 3 de julho.

Veja o boletim abaixo: 

Os vídeos divulgados na internet no domingo (11.jul) são anteriores às agressões de julho, segundo a advogada da influencer, Pris. Ainda não há confirmação sobre quando eles ocorreram exatamente. A Justiça determinou medida protetivas em favor da digital influencer em 4 de julho.

As agressões foram denunciadas em julho deste ano, após Pamella ser agredida na cidade de Eusébio, na Grande Fortaleza. Segundo a Secretaria da Segurança Pública do Ceará (SSPDS), a mulher registrou ocorrência de lesão corporal no âmbito da violência doméstica no último dia 3.

A secretaria não divulgou detalhes da investigação, como por exemplo, se o DJ ou testemunhas já prestaram depoimento, mas emitiu nota informando que um inquérito foi aberto e um BO registrado em 3 de julho.

A arquiteta e digital influencer Pamella Holanda se manifestou pela primeira vez nesta segunda-feira (12.jul), em redes sociais, após a divulgação dos vídeos em que é agredida pelo ex-marido.

"Eu me calei por muito tempo! Eu sofria com minha filha, sem apoio até dos que diziam estar ali pra ajudar, que eram coniventes e presenciavam tudo calados sem interferir com a desculpa que eu tinha que aguentar calada porque era o 'jeito dele', era esse o 'temperamento dele' e que se eu quisesse viver com ele, teria que me sujeitar e ser submissa. Não se calem!!! Não se calem jamais!!! Eu não vou me calar!", escreveu no Instagram.

Ivis não negou as agressões, mas tentou dizer que "o que ele passou ninguém aguentaria", alegando que a ex-mulher fazia ameaçãs e que tinha provas disso. Apesar de afirmar que postaria as provas, Ivis disse que o Instagram estaria 'derrubando' seus posts.  

Segundo a Secretaria da Segurança, um inquérito policial para apurar as agressões foi instaurado. No entanto, não foi possível prender Ivis em flagrante, porque as agressões ocorreram no dia 1º de julho, e as denúncias feitas no dia 3. A detenção por flagrante delito ocorre em até 24 horas de um crime efetivado.

A Polícia Civil solicitou ao Poder Judiciário medidas protetivas de urgência em favor de Pamella, que foram concedidas no dia 4. Segundo a Secretaria da Segurança, o caso segue em investigação, e as filmagens ainda não tinham sido apresentadas