IPTU 2019
câmara dezembro
domingo, 09 de dezembro de 2018

Economia

Preço da casa própria acumula queda real de 4% em 2018

Variação dos imóveis em novembro foi, pela primeira vez, positiva no ano (0,06%), mas indica estabilidade no preço, segundo o índice FipeZap

Por: Alexandre Garcia, do R706/12/2018 às 06:37
ComentarCompartilhar
Valor médio do m² subiu para R$ 7.521 em novembroValor médio do m² subiu para R$ 7.521 em novembroFoto: Rodrigo de Oliveira/Caixa

O preço médio do metro quadrado construído no Brasil oscilou 0,06% na passagem de outubro para novembro, segundo informações divulgadas, ontem, quinta-feira (5), pelo índice FipeZap, que acompanha o preço dos imóveis em 20 das principais cidades brasileiras. A leve alta do indicador é a primeira desde a variação positiva de 0,01% registrada em dezembro do ano passado.

De acordo com o índice, os brasileiros que realizaram o sonho da casa própria no mês passado desembolsaram, em média, R$ 7.521 por cada metro quadrado construído. Em outubro, o valor médio pago pelo espaço mínimo de terra foi R$ 7.519.

Apesar da oscilação positiva, o FipeZap acumula uma queda nominal de 0,32% no acumulado de 2018. Como a expectativa da inflação para os 11 primeiros meses do ano é de 3,76%, é possível afirmar que a variação do preço dos imóveis teve uma baixa real de 3,94% no período.

O economista da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) Bruno Oliva afirma que a primeira alta nominal do índice no ano ainda não significa uma recuperação do valor do metro quadrado construído no país. "Quando a gente olha o comportamento dos preços nos últimos 12 meses, período que traz uma informação mais robusta, é possível observar que ainda houve uma queda de 0,35% em termos nominais", explica.

Para os próximos meses, Oliva avalia que a tendência é de que os preços dos imóveis se mantenham sem grandes oscilações. "É improvável que ocorra uma mudança muito rápida no ano que vem. Pode até a ser que suba um pouco mais do que a inflação, mas não vai ter uma recuperação digna da inversão de mercado", analisa o economista.

Cidade

Na análise por localidade, o FipeZap aponta que o Rio de Janeiro segue com o metro quadrado mais caro do Brasil, avaliado em R$ 7.405. A manutenção na ponta do índice ocorre mesmo com queda nominal de 3,57% nos preços da capital fluminense ao longo do ano.

Em seguida, aparecem os municípios de São Paulo e do Distrito Federal, onde o valor médio do metro quadrado construído custa R$ 8.841 e R$ 7.787, respectivamente.

Por outro lado, seguem com os preços mais baixos para se adquirir um imóvel no país os municípios de Contagem (MG), Goiânia (GO) e Vila Velha (ES), localidades que têm o valor médio do metro quadrado listados por, respectivamente, R$ 3.537, R$ 4.194 e R$ 4.702.

Na passagem de outubro para novembro, metade das cidades monitoraras pelo índice registraram aumento mensal de preço igual ou superior a 0,1%, sendo as principais altas apuradas nos municípios de Curitiba (+1,72%), Florianópolis (+0,65%) e Contagem (+0,53%).

As quedas de preços mais significativas, por sua vez, foram computadas nas cidades de Niterói (-0,49%), Recife (-0,34%) e Rio de Janeiro (-0,33%).

Deixe seu Comentário

TV MS

04 de novembro de 2018
Entrevista - Alessandra Maestrine e Mirna Rubim falam sobre o espetáculo 'O Som e a Sílaba'

Últimas Notícias

Ver Mais Notícias
MS Notícias - Sua Refência em Jornalismo no MSRua Rodolfo Andrade Pinho, 634
CEP 79090.050 - Vila Taveirópolis
Campo Grande/MS
 (67) 3305.4739
Editorias
Institucional
Mídias Sociais
© MS Notícias. Todos os Direitos Reservados.
Desenvolvimento Plataforma