24 de julho de 2021
Campo Grande 33º 17º

Boi poderá subir ainda mais neste 2º semestre

A- A+

Com a oferta de gado bovino restrita e o início da entressafra da pecuária, os preços do boi gordo devem continuar em patamares elevados no segundo semestre e até mesmo subir mais um pouco, conforme analistas consultados pelo Valor. Pelas estimativas da consultoria MB Agro, o preço do boi gordo deverá subir gradativamente ao longo do semestre e atingir entre R$ 128 e R$ 130 por arroba em novembro - pico de entressafra, o que representa uma alta de pouco mais de 4% em relação à cotação média da arroba em junho (R$ 124,56), de acordo com o indicador ESALQ/BM&FBovespa. "O preço do boi gordo deverá continuar alto e subir gradativamente, mas não vai haver nenhuma explosão de preços", afirma César Castro Alves, analista da MBAgro. Segundo ele, mesmo que seja "boa", a oferta de animais está mais restrita do que no ano passado devido à retenção de vacas para ampliar o rebanho, num movimento característico de inversão do chamado "ciclo da pecuária". Do lado da demanda, diz Castro Alves, as exportações deverão continuar aquecidas. No entanto, a demanda no mercado doméstico pode impedir um movimento altista, ressalva Antonio Guimarães, da Scot Consultoria. "Vamos ficar dependentes da demanda, que poderá segurar o preço por conta da conjuntura de juros e inflação altos", diz Guimarães. O mercado doméstico absorve mais de 75% da produção de carne bovina do país. Valor Econômico