12 de junho de 2021
Campo Grande 25º 14º

Carregamento de celulose cresce 50% no país

A- A+

A celulose teve crescimento referente a sua produção no Brasil, e em 2014 seguiu com ritmo acelerado. No estado, as principais fábricas do produto, Fibria e Eldorado, localizam-se em Três Lagoas e utilizam a malha ferroviária administrada pela ALL (América Latina Logística) para escoar parte de suas produções ao Porto de Santos (SP).

De janeiro a outubro deste ano, as empresas transportaram 1.621.020 toneladas de celulose, sendo este um crescimento superior a 50% se comparado ao ano de 2013.

O responsável  comercial da carteira de produtos industriais da ALL, Carlos Teixeira de Freitas, acredita que os bons resultados são frutos de investimentos e trabalho desenvolvido em parceria com as empresas. “Este setor está em franco crescimento e a parceria construída entre os players e a ferrovia é um case de sucesso. Os volumes estão crescendo de forma expressiva e a solução logística que oferecemos é uma forte aliada para o aumento da competitividade dos nossos clientes”, explica. O carregamento dos vagões da Fibria é feito em Três Lagoas e o da Eldorado é realizado em Aparecida do Taboado.

É através de investimentos realizados, somados ao momento que o setor está vivendo, a celulose passou a representar aproximadamente 15% do total de produtos industriais transportados pela ALL.

Já o diretor da Associação sul-mato-grossense de Produtores e Consumidores de Florestas Plantadas , Benedito Mário, diz que a tendência é, até o fim do ano, que os números continuem no mesmo ritmo.

O Estado é um dos poucos do Brasil com as condições favoráveis para produzir: terra, situação fundiária boa, propriedades grandes, e topografia boa, com áreas planas”, explica.

Conforme a Associação Indústria Brasileira de Árvores, a produção de celulose no Brasil atingiu 12 milhões de toneladas de janeiro a setembro deste ano, com alta de 7,7% em comparação com o mesmo período de 2013, onde foram registradas 11,2 milhões de toneladas. Houve também variação positiva de 2,3% em relação ao mesmo período do ano passado na produção de painéis de madeira, com 5,9 milhões de m³. Já em relação ao segmento do papel, a produção totalizou 7,8 milhões de toneladas, no período de janeiro a setembro deste ano, com variação de 0,4% na comparação com o mesmo período de 2013.

 Tayná Biazus