19 de setembro de 2020
Campo Grande 32º 21º

ECONOMIA

Custo da cesta básica sobe 1.01% em Campo Grande, diz Dieese

Curitiba é a capital com a cesta mais cara do país

O custo da cesta básica caiu em 13 das 17 capitais analisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) no mês de julho. Nas outras quatro capitais, o custo subiu.

De acordo coma Agência Brasil, entre as capitais analisadas, a cesta básica mais cara encontrada foi a de Curitiba, onde o preço médio estava em torno de R$ 526,14; seguida por São Paulo, com custo médio de R$ 524,74. A cesta mais barata era a de Aracaju, com preço médio de R$ 392,75.

Na cidade de Curitiba, o preço da cesta cresceu 3,97%, o que também ocorreu em Florianópolis, com crescimento de 0,98%, já em Campo Grande, a alta foi de 1.01%, e Recife obteve um crescimento de 0,18%.

Salário mínimo

Com base na cesta mais cara do país, o valor do salário mínimo em dezembro, necessário para suprir as despesas de um trabalhador e de sua família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência, teria que ser de R$ 4.420,11, o que corresponde a 4,23 vezes o salário mínimo vigente, de R$ 1.045.

*Informações da Agência Brasil