07 de agosto de 2020
São Paulo 39º 24º

Inadimplência volta a crescer em outubro

Pesquisa realizada pela empresa de consultoria Serasa Experian mostra um aumento de 3,7% na inadimplência dos consumidores no mês de outubro em relação ao mês anterior. O número é 11,9% menor que o mesmo período do ano passado.

Esta é a primeira alta depois de quatro quedas consecutivas. Segundo os economistas da Serasa, ela acontece devido a fatores sazonais, como o Dia da Criança e o maior número de dias úteis em relação a setembro.

As dívidas não bancárias, que incluem cartões de crédito, financeiras e prestadoras de serviços de água, luz, telefone e outros, tiveram maior responsabilidade pela alta na inadimplência, contribuindo com 2,2 pontos percentuais e variação positiva de 5,1%.

A inadimplência com bancos de 0,4 ponto percentual, títulos protestados de 0,2 ponto percentual, e cheques sem fundo e de 0,8 ponto percentual também tiveram variação positiva, respectivamente de 0,9%; de 16,8%; e de 10,6%.

O valor médio dos cheques sem fundos aumentou 8,5% de janeiro até outubro, na comparação com 2012, passando de R$ 1.515,84 para R$ 1.645,11. As dívidas bancárias subiram 2% no mesmo período (de R$ 1.298,88 para R$ 1.324,47). Já as dívidas não bancárias (R$ 315,22) e os títulos protestados (R$ 1.399,15) apresentaram, no acumulado do ano, queda de 6,5% e 4,2%, respectivamente.

Diana Christie com informações da Agência Brasil